andre-matos

O cantor André Matos, ficou conhecido como um dos maiores vocalistas do metal brasileiro, ficou marcado por suas músicas à frente das bandas Viper, Angra e Shaman, e também pelo seu trabalho solo, desenvolvido a partir de 2006. O cantor foi vítima de um infarto fulminante aos 47 anos.

A banda Viper que André Matos atuou como vocalista por um tempo lançou, nesta segunda-feira (8/6), uma versão inédita da música The spreading soul, com vocais do cantor. Rebatizada de The spreading soul forever, a banda escolheu o aniversário de um ano da morte de André para o homenagear, confira:

VEJA TAMBÉM: Nostalgia! Manu Gavassi surge cantando “Pipoca e Guaraná” em vídeo inusitado

Segundo o portal Wikimetal, a música foi gravada em 2013, com produção de Maurício Cersosimo. E a nova versão foi gravada por Felipe Machado (guitarra), Pit Passarell (baixo), Hugo Mariutti (violão) e Guilherme Martin (bateria).

Nas redes sociais, o grupo ainda continuou a homenagem e publicou uma carta aberta ao cantor assinada pelo guitarrista Felipe Machado. Na legenda, Felipe explica também como surgiu a nova versão da música. Confira:

View this post on Instagram

Querido Dedé, o tempo é uma coisa engraçada. Na teoria ele parece sempre lógico, hora após hora, dia após dia, mês após mês. Mas isso é só na teoria, mesmo. Na nossa cabeça ele faz curvas inexplicáveis, dança para lá e para cá ao sabor de um vento que muda de direção a todo momento. Uma lembrança que aconteceu há décadas parece ontem; um fato que aconteceu há uma semana já nem existe de tão distante. Hoje faz um ano que você morreu. Quando digo isso, muita gente me diz “um ano, já?” ou “o tempo voa”, quase um insulto de tão clichê. Insinuam que passou rápido, foi outro dia. Não tenho certeza. Aconteceram tantas coisas desde então que tenho a impressão de que 8 de junho de 2019 se passou há uma eternidade. Em outra vida, talvez, outro mundo, onde os relógios são loucos e a memória, traiçoeira. Hoje o mundo inteiro está te homenageando. O VIPER também, claro. Lembra quando você foi no estúdio do Lico ouvir o álbum ao vivo e não gostou da voz em “The Spreading Soul”? Lembra que você chegou a regravar um take da música? Pois o Lico recuperou os arquivos, o Gulherme organizou a regravação do instrumental. Tudo isso deu origem a “The Spreading Soul Forever”. Era uma das suas músicas favoritas, não é? Pois aqui está. Ficou linda, sua voz foi feita para ela. Nem posso falar muito porque o Pit tem ciúme. É a favorita dele, e a minha também. Mas agora não tem discussão: ela é eterna. “The Spreading Soul Forever.” (Link na bio) Há anos que passam rápido, outros que demoram um século para passar. O tempo é persistente, mas não é muito confiável. Os dias, horas e segundos são apenas números. O que conta é o tempo que corre dentro do coração, as memórias que construímos ao longo dele. Rápido ou lento, não sei em qual dos dois se encaixa esse período entre 8 de junho de 2019 e 8 de junho de 2020. O que eu sei, porém, é que foi um ano incompleto. Um ano em que tanta coisa aconteceu e, mesmo assim, um ano vazio. Que falta faz a sua voz. Felipe Foto de Marcos Hermes @marcoshermes Capa de @jduarte_design #thespreadingsoulforever #viper #heavymetal #andrematoslives #andrematosforever #wikimetal

A post shared by VIPER (@viper_brazil) on