Naldo Benny fala sobre assassinato do irmão: “Eu queria morrer junto”

Em novo documentário, artista falou sobre um dos momentos mais tristes de sua vida

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Recentemente, Naldo Benny lançou um documentário no YouTube sobre sua trajetória pessoal e profissional. Na obra, intitulada ‘Naldo, o Filho da Maré’, o cantor faz revelações sobre sua infância difícil no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, e relembra os momentos marcantes da carreira.

No documentário, ele abriu o coração e falou sobre um assunto que não costuma citar publicamente: o assassinato do irmão, o cantor Jorge Luiz da Silva, conhecido como MC Lula, que formava uma dupla com ele.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O cantor formava a dupla Naldo e Lula com o irmão (FOTO: Reprodução)

VEJA MAIS: Site expõe dossiê sobre supostas traições de Nego do Borel; confira!

“Comecei a fazer aulas de dança com a perda do meu irmão. Eu estava gordo, eu fiquei deprimido, porque eu queria explodir de algum jeito e não conseguia, tentei seguir minha vida, mas eu não tinha cabeça para fazer nada, para malhar. Fiquei parado. Parecia que eu queria morrer junto”, declarou Naldo ao recordar o triste momento.

A MORTE DO IRMÃO DE NALDO

Em 2008, o corpo de Jorge Luiz da Silva, conhecido como MC Lula, foi encontrado carbonizado na Rua Marechal Marciano, em Bangu, no Rio de Janeiro. Dias depois, os familiares do músico reconheceram o corpo pela arcada dentária e pelas roupas. Investigações apontaram que o artista foi vítima do crime organizado.

Naldo Benny e MC Lula formavam uma dupla e, quando a tragédia aconteceu, eles estavam finalizando as gravações do CD ‘Na Veia’.

“Em 2008, a gente começou a fazer o CD ‘Na veia’. Tinha umas músicas já gravadas, comigo e com o meu irmão, quando estava marcado um dia para a gente concluir as vozes, já estava no final do CD, o meu irmão não chegou no estúdio. Ou seja, a gente tinha falado um pouco antes, a tarde, e infelizmente foi o dia que aconteceu a perda”, revelou Naldo no documentário.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio