Caetano Veloso
O cantor e compositor baiano Caetano Veloso (FOTO: Reprodução)

Na manhã desta sexta-feira (20), Dia Da Consciência Negra, o vídeo de um caso de racismo e agressão contra um homem negro viralizou e gerou revolta na web. O caso também chamou a atenção de Caetano Veloso.

Em seu Twitter, o músico desabafou:

Ver, no Dia da Consciência Negra, as imagens do rapaz sendo espancado no Carrefour é indignante. Vivi situações junto a amigos negros que vão da expulsão, sob ameaças, de um menino preto, amigo de um dos meus filhos, de um shopping do Rio a uma prisão, em Salvador, feita de forma agressiva, de um amigo íntimo nosso que passeava conosco na calçada da praia do Rio Vermelho. Éramos três ou quatro, ele o único preto. O carro da polícia passou e parou para abordá-lo, a ele e somente a ele. Protestamos. Mesmo assim eles o puseram na parte de trás do camburão.

VEJA TAMBÉM: Mano Brown pede boicote à mercado após homem negro ser espancado até a morte

Era amigo muito querido e chegado. Paulinha (@paulalavigne) e eu protestamos junto aos policiais. Um deles me reconheceu e, afinal, sob admoestações dos outros, soltou nosso amigo. A situação objetiva de uma pessoa preta no Brasil é no mínimo desvantajosa. Sou meio preto e acho que os brasileiros têm de admitir que, como grupo, todos s somos. O país é, como disse Joaquim Nabuco, mais dos africanos escravizados do que de ninguém mais. Porque foi construído principalmente por eles. Temos que mudar muita coisa. Não pode ficar como vinha e vem sendo. Tem de ser diferente”, finalizou Caetano Veloso.