Nesta semana, o documentário Homecoming de Beyoncé foi lançado na Netflix, além de um álbum ao vivo ser disponibilizado nas plataformas digitais. O filme mostra o legendário show da cantora no Coachella 2018. Assim, a cantora volta a ser um nome bastante cotado para o Grammy, maior premiação da música.

Mesmo não sendo um álbum de músicas inéditas, “Homecoming: The Live Album” pode ser elegível no ano que vem a álbum do ano ou a qualquer outra categoria que o comitê decida, caso a gravadora decida colocar o projeto para concorrer na premiação. O filme também entrará nas indicações, podendo ser indicado como Best Music Film, desde que não seja retirado do Netflix a tempo de votação.

VEJA TAMBÉM: Produtor de novo disco de Madonna descreve o projeto como “álbum futurista global”

Beyoncé já conquistou 23 Grammys sendo uma cantora muito prestigiada pela academia. Homecoming: The Live Album poderá ser o primeiro álbum ao vivo a ser indicado à categoria de “álbum do ano” desde 1994. Naquele ano, dois álbuns desse estilo foram indicados: o “MTV Unplugged” de Tony Bennett e “The Three Tenors in Concert”, por José Carreras, Plácido Domingo e Luciano Pavarotti.