Amy-Winehouse
A cantora britânica Amy Winehouse (FOTO: Reprodução)

O programa Never mind The Buzzcocks foi um grande sucesso por quase 20 anos na grade da BCC 2. Quando o canal decretou o fim do programa em 2015, centenas de fãs começou a twittar lembranças da atração e lamentar o fim. A atração estreou em 1996 e durou até 2015, quase duas décadas o Never mind the Buzzcocks mostrou competições musicais entre artistas como Amy Winehouse (em início de carreira e já famosa), Slash, Lemmy Kilmister, Ed Sheeran, Preston (da banda Ordinary Boys) e vários outros.

O mais interessante do programa era a criatividade dos conteúdos, tornando inviável imaginar a atração ser exibida por um canal “tradicional” nos dias de hoje. Primeiro, porque os artistas necessitavam testar seus conhecimentos musicais numa época pós-MTV: em um dos quadros, eles tinham que adivinhar o que acontecia em clipes quando o apresentador cortava a exibição.

VEJA TAMBÉM: Nego do Borel desabafa após tio morrer vítima do coronavírus: “Nem enterro tem”

Em um dos momentos, os artistas precisavam adivinhar trechos das suas próprias composições, ou das composições de outros cantores. Slash se enrolou para continuar o trecho “take me down to the paradise city” (de Paradise city, do Guns N Roses) e brincou da própria enrolação. Em outro momento, Amy Winehouse em início de carreira, teve que fazer o solo de guitarra de Mr Blue Sky, da Electric Light Orchestra, com a boca.

Veja esses momentos no vídeo abaixo:

O programa saiu do ar em 2015 e o canal avisou que “viriam novas formas de entretenimento no futuro”. O Never mind the Buzzcocks, além dos momentos marcantes, ainda exibiu uma situação onde Amy Winehouse previu indiretamente a própria morte por alcoolismo.

Lançando o disco Back to black em 2006 e já transformada na personagem Amy Winehouse, ela foi ao Never mind the Buzzcocks, pediu uma bebida ao vivo e ouviu do apresentador Simon Amstell a frase: “Você quer que a gente fique aqui enquanto você bebe até morrer, que nem o Pete Doherty?”. A artista informou que iria encontrar com Doherty naquele mesmo dia para escrever músicas. Ouviu de Amstell na sequência: “Ele quer vender drogas para você. Não chegue perto dele”, disse ele, que sugeriu a Amy um trabalho em dupla com Katie Melua, cantora pop nascida na Georgia e radicada na Inglaterra.

Com uma grande sinceridade na fala, Amy disse que daria uma “baita merda” para a cantora de You know I’m no good, além de afirmar que preferia ter aids felina do que fazer qualquer coisa com a Katie. Entre outras declarações, Amy chegou a dizer que a “antiga Amy estava morta”.