elvis presley
O astro norte-americano Elvis Presley (FOTO: Reprodução)

Quando se tratava de se preparar para uma noite de amor, a ex-esposa de Elvis Presley, Priscilla, era uma mulher que gostava de aproveitar seu tempo. Durante uma breve relacionamento que teve com o célebre fotógrafo britânico Terry O’Neill, em 1975, ele disse que ela sempre passava pelo menos uma hora se vestindo de maneira sedutora para dormir.

Então, o amigo íntimo, Chris Hutchins, não poupou detalhes sobre como uma noite com Priscilla Presley sempre era algo que valia a pena esperar. Enquanto se esticava na cama, sua beleza refletia no teto espelhado do quarto, com uma lingerie preta, que ela gostava de usar.

Ela nunca parecia nada menos do que sensacional, mas, como Terry lembrou, havia um problema. O ato do sexo era frequentemente interrompido por telefonemas de Elvis que, embora estivessem divorciados há dois anos, ainda lhe telefonava em todas as horas do dia e da noite.

O relacionamento de Terry com Priscilla durou apenas dois meses. Terminou quando ele retornou à Inglaterra, mais tarde para começar a namorar sua futura esposa, a atriz Faye Dunaway.

Ele nunca descobriu o que Elvis disse a Priscilla naquelas muitas ligações telefônicas, mas nessa época ele já havia adquirido uma própria visão do relacionamento rompido do casal, testemunhando em primeira mão o declínio físico e emocional de Elvis nos anos seguintes.

Na época, Terry cuidava das relações públicas de Tom Jones, que em março de 1968 havia começado a tocar em casas lotadas em Las Vegas. Seu sucesso inspiraria Elvis a voltar ao palco por lá.

Como sempre, foi uma decisão que teve muito a ver com seu gerente, coronel Tom Parker, um homem controlador e manipulador que também era um jogador inveterado.

Elvis The Man O Blog Do Rei Do Rock : CORONEL TOM PARKER O HOMEM ...

Tomando uma proporção considerável dos ganhos de Elvis, foi dito que o empresário gastou hoje o equivalente a 5 milhões de libras por ano nos cassinos do resort. Seu vício era tão grande que ele jogava todos os números da mesa de roleta de uma só vez.

Enquanto o coronel estava ocupado jogando, Elvis e Tom costumavam festejar na Suíte Imperial no 30º andar do Hilton, a casa de Elvis sempre que ele estava na cidade.

Com quatro quartos, seis banheiros, uma sauna, uma sala de jantar e uma sala de estar submersa, foi palco de muitas sessões lendárias de bebida, mas a amizade entre Tom e Elvis sempre foi tingida com mais do que uma pitada de rivalidade profissional.

Elvis Presley no casamento de seu guarda-costas, Sonny West e Judy, em 1970.

De acordo com seu guarda-costas e amigo Sonny West, Elvis costumava fazer piadas sobre as calças justas de Tom, sua marca registrada. “Ele enfia uma meia lá embaixo?”, Elvis gostava de perguntar.

VEJA TAMBÉM: Anitta recebe alta de hospital e comemora volta pra casa: “Estou livre”

Sempre que estava na plateia para um dos shows de Tom, ele pulava no palco e se juntava a ele para uma brincadeira. Isso encantou os fãs que conseguiram duas estrelas pelo preço de uma, mas Tom não tinha intenção de deixar Elvis ser o centro das atenções em um dueto improvisado.

Mais de uma vez, Chris ouvi-o dizer à sua equipe de palco: “Esconda o microfone. Presley está aqui”.

Uma noite, Tom estava assistindo Elvis se apresentar no Hilton. Não sendo mais capaz de atingir todas as notas altas, Presley disse que às vezes apenas imitava as palavras enquanto seu grupo de apoio cantava, e Tom ficou claramente impressionado, dizendo: “Ele é como um grande garoto do coro lá em cima”.

Piadas à parte, Elvis gostou do fato de poder conversar com Tom frente-a-frente. Se ele estivesse falando bobagens, Tom diria, mas Elvis se sentiu capaz de se abrir na frente dele, como Tom viu uma noite nos bastidores com sua esposa Jan.

Enquanto Elvis conversava com Tom em seu camarim, Jan e Priscilla comparavam fotos de suas respectivas bebês, Lisa Marie e Joanne. Isso provocou uma resposta emocional de Elvis, que sempre sofria por seu irmão gêmeo natimorto Jesse, e sua mãe Gladys, que morreu em 1958.

“Mamãe ficaria tão orgulhosa se pudesse me ver agora, um homem casado e com um bebê”, disse Elvis. “Ela seria avó e isso ajudaria muito a compensar a perda de Jesse.”

Foi um momento emocionante. Mas, como Priscilla contou após a separação, a visão idealizada de Elvis da vida familiar estava em desacordo com a realidade de seu relacionamento. Como foi bem documentado, ela iniciou um caso com o instrutor de artes marciais Mike Stone.

Eles se instalaram em Beverly Hills, em uma casa fornecida por Elvis como parte do divórcio, e Chris Hutchins era um visitante frequente quando começou a ter aulas de karatê com Mike. Um dia, ele apareceu sem saber que Mike estava lá e Priscilla o convidou para almoçar.

Sozinho com ela pela primeira vez, Chris percebeu que Priscilla tinha medo de seu amante e seu ex-marido: Mike por sua força bruta e Elvis por seu poder todo-poderoso.

Priscilla Presley e o namorado Mike Stone em 1974.

Mais tarde, surgiu que Elvis havia ordenado que um de seus membros contratasse um assassino para explodir a cabeça de Stone. Felizmente, um conselho mais sábio havia prevalecido.

O FIM DO CASAMENTO COM PRISCILLA

“Nem sempre foi assim”, disse Priscilla naquela tarde. “Elvis costumava ser gentil e sempre atencioso. Mas as coisas mudaram muito antes do dia do nosso casamento. Eu deveria ter percebido que estava me casando com uma comitiva e tinha apenas uma participação de seu líder. Isso tinha que terminar.”

Priscilla explicou que Mike: “simplesmente estava lá na hora certa e era o homem certo”.

“Nossa conversa foi interrompida pela chegada no quarto de Lisa Marie, então com sete anos. Ela se sentou à mesa e começou a escrever uma carta, parando ocasionalmente para me perguntar como soletrar certas palavras. Começou: ‘Querido papai, ontem fui a uma festa de aniversário. . . – e terminou: – Sinto muita falta de você e mamãe manda seu amor.”, relatou Chris em 2016 ao Daily Mail.

Pin on Elvis Presley's daughter Lisa Marie Presley photos

Priscilla acreditava erroneamente que a paternidade mudaria Elvis e o tornaria mais responsável. Acima de tudo, ela rezou para que o ajudasse a parar de tomar os remédios que controlavam sua personalidade.

Mãe e pai tinham a guarda conjunta de Lisa Marie, mas foi Elvis quem a cedeu. Quando ela pedia para ver um filme, ele alugava o cinema; quando ela queria um carrossel, ele contratava o parque de diversões. 

Quando Lisa Marie disse ao seu pai que nunca tinha visto neve, ele voou de Memphis para Los Angeles no jato que levava seu nome (e o indicativo de chamada ‘Hound Dog I’), a pegou e voou para as montanhas de Utah para que pudesse brincar na neve por 20 minutos. A viagem custou cerca de £ 150.000 em dinheiro de hoje, mas nenhum preço era muito alto se isso deixasse Lisa Marie feliz.

Enquanto Chris conversava com Priscilla, havia escolhido esse momento para se abrir completamente. Naquela manhã, ela foi sacudida por mais um telefonema angustiante que recebia constantemente de Elvis.

Ela não entrou em detalhes, mas, em Las Vegas, Tom Jones e Chris viram as pressões que ela estava sofrendo. Mesmo cinco anos antes, uma ligação anônima havia alertado sobre uma conspiração para sequestrá-la.

O FBI mal teve tempo de reagir antes de uma segunda ligação ser feita ao coronel Parker quando Chris o visitava em seu escritório no Hilton.

Ao desligar o telefone, Priscilla disse que o interlocutor o havia aconselhado a tratar o sequestro com urgência, mas claramente não era fácil entrar em pânico. Depois de alertar o FBI sobre a ameaça refeita, ela calmamente o convenceu a entrar no cassino para tentar a sorte nas mesas.

A AMEAÇA DE ASSASSINATO DE ELVIS PRESLEY

Logo depois, um terceiro aviso veio, desta vez alegando que Elvis seria baleado no palco. Em todo do hotel fervilhava de atividade do FBI, fãs de camisetas de Elvis esbarrando nos ombros bem acolchoados de homens de terno cinza e chapéu de feltro.

Elvis se recusou a cancelar todos os shows, mas subiu ao palco com uma arma escondida na parte de trás da cintura da calça.

Se alguém atirasse nele, ele pretendia atirar de volta e, no caso de ser morto, ele ordenara que seus guarda-costas atirassem no assassino antes que a polícia chegasse. “Não quero que ninguém fique famoso por atirar em Elvis Presley”, disse ele.

Todas as precauções funcionaram, e Elvis fechou o show em Las Vegas sem nenhum arranhão.

Mas seu vício em medicamentos prescritos – drogas e vários narcóticos – apresentou seu comportamento cada vez mais irregular.

Uma noite ele apareceu no provador de Tom com a mão enfaixada. Aconteceu que um membro de sua equipe havia roubado um anel da mesa de cabeceira.

Quando soube que o suspeito deveria voar para Memphis naquele dia, Elvis havia dirigido para o aeroporto de Las Vegas e ficou no caminho da aeronave em que ele estava prestes a viajar, segurando o distintivo brilhante de um agente federal.

Elvis Presley em concerto em 1976 apenas um ano antes de morrer aos 42 anos.

Presumivelmente, Nixon havia raciocinado que não faria mal em manter um artista tão popular, mas Elvis levou o distintivo muito a sério e o usou como autoridade para interromper o voo.

Seu amigo íntimo George Klein estava com ele na época e relatou como eles levaram o suposto criminoso para fora do aeroporto e de volta para o Hilton, onde ele foi sujeito a uma punição sumária por seu empregador.

“Elvis deu um tapa na cara dele”, disse George. “Ele usava um anel e meio que cortou sua cabeça”. Tão feroz foi a surra que Elvis machucou a própria mão no processo.

Em agosto de 1975, quando Elvis Presley cancelou vários shows e estava no hospital com várias doenças, incluindo um aumento do fígado agravado pelo abuso de drogas, houve uma tentativa improvável de intervenção de Frank Sinatra.

Eles tiveram seus desentendimentos no passado. Frank uma vez descreveu a música de Elvis como “um afrodisíaco de cheiro rançoso”. Mas tarde da noite, Tom Jones e Chris se encontraram para tomar uma bebida com Frank em Nova York e ele disse que acabara de telefonar para Elvis.

Frank Sinatra e Elvis Presley. (Foto: Reprodução/Internet)

Quando ligou para o hospital em Memphis, a recepcionista perguntou: “Quem está falando?” e o astro respondeu: “Frank Sinatra”, ele esperava que ela dissesse: “Ah, sim, e eu sou a rainha da Inglaterra” ou algo parecido. Mas ela deve ter reconhecido a voz dele, porque alguns segundos depois, Elvis atendeu a ligação.

Sinatra disse ao Presley que ele precisava cuidar de si próprio e parar de brincar. Que ele era jovem demais para morrer.

Tragicamente, é claro, esse aviso passou despercebido. Após a morte de Elvis em 1977, começaram as especulações inevitáveis ​​sobre quem ou o que poderia tê-lo salvado.

A resposta certamente não foi Ginger Alden, ou Priscilla de 20 anos que era sua namorada na época, muito jovem e inexperiente para exercer qualquer controle sobre o uso de drogas.

De acordo com Ginger, ela e Elvis tinham planos de se casar naquele natal, alegação que surpreendeu muitos dos mais próximos dele, incluindo Mary Jenkins, cozinheira de longa data em Graceland.

“Isso realmente me surpreendeu”, disse ela. “Ele me disse que nunca mais se casaria, a menos que fosse com Priscilla.”

(Original Caption) Las Vegas, Nev..Entertainer, Elvis Presley sits cheek to cheek wit his bride, the former Priscilla Ann Beaulieu, following their wedding May 1, 1967.

A última vez que Elvis falou com sua ex-esposa foi por telefone na noite em que ele morreu.

Durante a ligação, eles discutiram sobre as providências de viagem para Lisa Marie, sua filha, que pediu minha ajuda para escrever sua carta para ‘papai’ naquela tarde no jardim de Priscilla.

Foi uma conversa tensa, mas pelo menos eles estavam conversando. E isso aumentou as esperanças de Mary Jenkins para uma reunião conjugal, o que poderia conter alguns dos excessos de Elvis Presley. Certamente isso era algo que ele parecia desejar nos anos seguintes ao divórcio de Priscilla.

Durante seu tempo com Terry O’Neill, ela lhe disse que Elvis estava com o coração partido quando o deixou, e Terry não tinha dúvidas de que ele a queria de volta.

No entanto, na opinião dele, era uma tentação que ela era sensata em evitar. “Se ela voltasse para Elvis, teria sido destruída”, disse ele. “Em vez disso, Elvis Presley se destruiu.”