O astro norte-americano Elvis Presley (FOTO: Reprodução)

DO BLOG PABLO ALUÍSIO: Será que Elvis Presley era Gay? Nos primeiros dias de sucesso, Elvis, por se vestir de maneira muito diferente da época, teve que arcar com insinuações e boatos de que na verdade seria homossexual. Afinal, nenhum homem rebolava como ele nos conservadores anos 1950! Um homem dançar naqueles tempos era algo inaceitável para muitos. Constantemente, Elvis era xingado por algum namorado enciumado quando descia do palco, isso foi algo que ele teve que conviver desde os primeiros dias na estrada. Com o passar do tempo, Elvis começou a ignorar os gritos de “Bicha, bicha” para evitar maiores problemas. Por muito tempo os apontamentos de que Elvis era gay não passaram disso, meros xingamentos provenientes de pessoas que não gostavam dele, nem de seu estilo escandaloso e nem de sua dança diferente. O Rock era o inimigo e Elvis o seu alvo preferido. Quando se tornou um grande astro e foi para Hollywood, os boatos voltaram a ganhar força. Apesar de parecer uma comunidade muito conceituada, a capital do cinema também tinha hábitos de cidadezinhas do interior, inclusive fofocas mentirosas.

Como divulgado, Elvis foi um grande admirador de James Dean. Era apaixonado por seus filmes e seu estilo de vida. Assim que apareceu em Hollywood, Elvis fez questão de conhecer todos os membros do antigo grupinho de atores e atrizes que formavam os amigos mais próximos de Dean. O fato é que assim como James Dean praticamente todos ao seu redor ou eram gays ou bissexuais. Sal Mineo e Nick Adams, por exemplo, eram explicitamente conhecidos por seus casos homossexuais dentro e fora dos estúdios. Mesmo que para o grande público nada disso fosse revelado, dentro da comunidade de Hollywood esse segredo era bem conhecido. Ao ver Elvis tão próximo da turma gay de Dean, as fofocas começaram a se espalhar em todas as festas, encontros e eventos sociais do meio cinematográfico. Afinal de contas, viver cercado desse pessoal não ajudaria muito na convicção de que Elvis era um autêntico macho hétero. Se grande parte deles era gay, o que Elvis estaria fazendo no meio deles?

Elvis Presley e Nick Adams (Foto: Reprodução)

Embora Elvis tenha colecionado namoradas naqueles anos, os boatos sempre mantiveram. Afinal, ele bem poderia ser como o seu próprio ídolo James Dean que era bissexual, saindo com homens, amando mulheres, tudo ao mesmo tempo. A questão é que Presley ficou muito próximo de Nick Adams e todos sabiam que Nick era gay. No fundo, Elvis queria alguém com experiência em arte dramática para lhe ajudar nos filmes, pois ele nunca havia atuado antes em sua vida, era uma profissão nova. Como nunca havia também estudado para ser ator, ele começou a usar Nick para lhe ajudar nisso. Assim quando estava filmando, Elvis precisou da presença constante de Adams ao seu lado. Ao levar o amigo para sua mansão em Los Angeles a fofoca repercutiu ainda mais.

A verdade de fato foi pura e simples: Elvis era um heterossexual convicto, a tal ponto, inclusive de eliminar qualquer outra pessoa com traços gays de sua convivência pessoal. Ele entrou na turma de James Dean, mas aquelas pessoas não eram persuadidas a ele em nada e nem tinham satisfações a dar. Certamente eram gays e não estavam nem aí para o que achavam deles. Qualquer novo membro que demonstrasse algum sinal de homossexualidade era logo retirado do grupo. Hoje em dia ele seria chamado de homofóbico dentro dos padrões morais. Em Hollywood, Elvis se mostrava bem tolerante com as pessoas ao seu redor, mas em Memphis as coisas mudavam de lado.

Elvis Presley e Nick Adams (Foto: Reprodução)

Super jovem, Nick Adams morreu em 1968, pois sua carreira foi declinando cada vez mais até o ponto em que ficou estagnada. Nick foi para o mundo da TV e acabou se entregando ao vício de drogas pesadas. Elvis tentou ajudar, mas ninguém pode salvar uma pessoa de si mesma. De qualquer forma, ele continuou sendo amigo de Adams até o fim de sua vida. Ao saber que o colega estava filmando em algum estúdio vizinho, o astro ia até lá para um aperto de mãos ou uma conversa agradável sobre os velhos tempos. Existem várias fotos de Elvis com Nick Adams, inclusive no set de filmagens da série “The Rebel”, com o ator ainda caracterizado como seu personagem.

VEJA TAMBÉM: “Sem sua força não teríamos este sucesso” afirma Janet Jackson sobre o falecido pai

No início dos anos 70 ninguém mais falava da amizade entre Elvis e Nick Adams, nem para tentar macular de alguma forma a masculinidade de Presley. Era algo esquecido afinal, a estrela de Memphis namorou centenas de mulheres elegantes e bonitas ao longo de sua trajetória. Ninguém tinha mais dúvidas sobre sua opção sexual. A pergunta se Elvis era gay voltou à tona novamente por causa de um livro bombástico escrito pela madrasta do cantor após sua morte. Dee Stanley havia se casado com Vernon Presley após a morte de sua esposa Gladys, e conviveu muitos anos com Elvis. O Rei do Rock não gostava dela por motivos óbvios e isso criou uma barreira entre eles.

Elvis Presley e Nick Adams (Foto: Reprodução)

Em algumas biografias, afirma que Dee tentou engatar um romance com Elvis bem debaixo do nariz de Vernon e que o cantor a despachou de forma veemente. Aliás, ficou bastante escandalizado com sua falta de discrição dentro de sua família. Verdade ou não, parece que Dee se vingou de Elvis nas páginas de seu livro ao afirmar que literalmente pegou Elvis na cama com Nick Adams nos tempos de Hollywood. Ela sem querer abriu a porta do quarto de Presley e os viu na mesma cama em situação bastante duvidosa! Infelizmente todos os envolvidos nisso já faleceram, Elvis, Adams e Dee. Na época, os fãs de Elvis obviamente ficaram furiosos com as afirmações de que Elvis teria ficado com outro homem em seus tempos de membro da ex-turminha de James Dean, mas ela jamais voltou atrás em suas afirmações. No final das contas fica o dito pelo não dito. De uma maneira ou outra essa questão sobre a verdadeira sexualidade ou preferência de Elvis não deixa de ser um dos aspectos mais duvidosos de sua biografia ao qual cada um deverá tirar sua própria conclusão.