O último clipe gravado por Freddie Mercury antes da morte

Publicado em 8/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em 30 de maio de 1991, 6 meses antes de morrer, Freddie Mercury gravou seu último clipe com seus companheiros do Queen. Era a música “These Are The Days Of Our Lives” e a história da música e dos bastidores foi muito emocionante e triste. O cantor não tinha forças.

Mercury é um dos mais perfeitos artistas que já passou por essa Terra e, além do fato de que novembro deste ano marcará 30 anos desde a morte do líder britânico do Queen ; seu trabalho perdura e durará por toda a eternidade.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

VEJA MAIS: RICA! Luísa Sonza revela que novo clipe custou R$ 1 milhão

Extrovertido, desafiador e sempre rebelde; os shows do Queen sempre deram o que falar. Pela atitude com que Freddie e seus companheiro em frente a multidão, pela versatilidade no palco e, porque não, por alguns inconvenientes que surgiram da própria rebelião natural do cantor.

O mesmo acontece com muitas de suas letras e até mesmo com videoclipes. Se já falamos da força do videoclipe de “I want to break free”, aquela música que acabou virando um hino de resistência para a banda e para setores oprimidos ao longo da história.

Porém, toda essa força e toda essa rebelião característica de Freddie Mercury não estavam sozinhas. E durante os últimos dias de sua vida Mercury colocou de lado qualquer tipo de atitude rebelde para que o profissionalismo e a emocionalidade tomassem o centro das atenções .

Assim, por exemplo, em 30 de maio de 1991, Freddie e o resto da banda filmaram o último videoclipe do grupo antes da morte do líder carismático (ele morreu em 24 de novembro de 1991). E longe da atitude desafiadora e rebelde, profissionalismo e sacrifício foi o que se destacou daquele “último show” de Freddie . 

Não mais o bigode característico que se tornou um de seus traços distintivos; no vídeo podemos ver um Freddie Mercury quieto. A magia de edição e maquiagem é o que torna possível para camuflar uma realidade dolorosa: AIDS foi devastando Freddie, que estava pálido e magro.

Escrita pelo baterista Roger Taylor, o próprio autor reconheceu que as letras são inspiradas em sua vida e na de seus filhos; tentando fazer um balanço do que eles viveram até aquele momento e o que eles ainda tinham para viver.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio