Outro membro dos Beatles quase morreu assassinado por um maluco

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O estrelato e atenção que os Beatles receberam durante anos foi tão imenso que atraiu diversos tipos de pessoas. E como nem tudo são flores, foi inevitável que a banda atraísse pessoas mal intencionadas. Foi o caso de John Lennon, que foi assassinado por um louco fanático, no dia 8 de dezembro de 1980.

Em 1999, 15 anos após o acontecimento, George Harrison quase enfrentou um destino semelhante. Durante a madrugada, enquanto dormia em sua casa em Oxfordshire, na Inglaterra, o astro foi atacado. O criminoso, Michael Abram, de 33 anos, escalou as paredes da propriedade e entrou pela janela.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

John Lennon e George Harrison (Foto: Reprodução)

VEJA MAIS: O dia em que cantor dos Beatles ficou chapado de LSD e disse ser Jesus Cristo

George Harrison flagrou a intrusão e enfrentou o transgressor frente a frente. No entanto, o guitarrista não conseguiu desarmá-lo e sofreu múltiplas facadas. A esposa de Harrison, Olivia, atingiu o intruso com um atiçador.

Mais tarde, ela relembrou o incidente: “Bati no intruso várias vezes, e pude ver o sangue se espalhando pelo seu cabelo loiro, e depois ele se levantou, começou a me perseguir. Ele estava me enforcando quando George pulou sobre suas costas.”, contou.

Olivia se lembra da última parte da história com um carinho agridoce. Embora o acontecimento tenha sido trágico, foi ofuscado pelo sentido de humor e inteligência do ex-Beatle. “O pobre George disse mais tarde: ‘Assim que ele saiu de cima de mim, eu pensei: ‘Oh bom, agora tenho que ir lutar com ele’”, completou.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio