pabllo vittar
Capa de "Não Para Não", o segundo álbum em estúdio de Pabllo Vittar (FOTO: Divulgação)

No início desta semana, a rapper norte-americana Azealia Banks, compartilhou uma conversa reveladora com uma fã através de sua conta no Instagram. No bate-papo a cantora confirma que cancelou sua apresentação num evento em Fortaleza por não querer fazer o show de abertura de Pabllo Vittar. A rapper norte-americana, acusou a brasileira e sua equipe de armarem um esquema para ganhar projeção internacional.

Nas mensagens a rapper explicou que a drag é “ótima”, mas que a produção do show não havia detalhado a ela sobre a ordem das apresentações. Nas mensagens privadas trocadas com um fã, Banks escreveu: “Não tenho nada contra ela, mas não vou abrir [o show] para alguém menos poderosa que eu”. A cantora ainda acrescentou: “Minha essência é potente demais para me posicionar abaixo de alguém que quase não existe no meu mundo. É uma questão de negócios… nada pessoal”.

Vale lembrar que no passado, Azealia foi criticada por chamar os fãs brasileiros de “aberrações do terceiro mundo” e afirmar que “não sabia que na favela tinha internet” após fazer comentários considerados xenófobos.

VEJA TAMBÉM: Bumbum da Britney, Jesus Cristo e padres pedófilos; entenda as referências do novo clipe de Miley Cyrus

Em meio a toda confusão, o jornal Metrópoles decidiu pesquisar se Azealia realmente estaria num patamar “acima” de Pabllo Vittar. Utilizando os números que atualmente influenciam a indústria musical, pode se confirmar que a cantora maranhense realmente está num nível superior ao de Azealia Banks.

Pabllo Vittar apresenta uma grande vantagem não somente em números absolutos, mas segundo números da ferramenta Social Blade, em projeções futuras que colocam a artista maranhense em curva ascendente, enquanto Azealia segue em tendência de queda.

pabllo azealia
(FOTO: Metropoles)

Azealia Banks volta a reclamar de show no Ceará: “Tentaram me hospedar em um hostel”

Por onde passa Azealia Banks acaba sendo assunto, gerando grande repercussão. E aqui no Brasil não seria diferente. Após cancelar um show em que seria a atração de abertura para Pabllo Vittar e atacar a brasileira pelas redes sociais, a rapper norte-americana continua reclamando nas redes sociais da equipe de produção do show e também da drag queen.

Não havia nem água o suficiente para a minha equipe no camarim. Eles não tinham meu equipamento para o show, eles me sabotaram. Eles sabiam do evento desde julho e quando apareci não tinha nada. Nem tinha água para a minha equipe no camarim. Eles até tentaram me hospedar em um hostel”, afirmou Azealia Banks.

A norte-americana ainda comparou o camarim no qual ficou ao espaço de Pabllo Vittar. “Eu olhei o camarim da Pabllo e ele tinha comida, bolo, água, energéticos, flores e para mim, uma mesa, sem cadeiras, sem espelho e só duas garrafinhas de água”, revelou. “Foi um tentativa de Pabllo de se sair melhor, mas eu não caí. Os dançarinos dele provocaram os meus dizendo ‘essa cidade é nossa, vocês vão abrir nosso show’”.

Desde que começaram as reclamações de Azealia Banks, nem Pabllo Vittar, nem os organizadores do evento em questão se pronunciaram sobre as questões levantadas pela rapper estadunidense.

“7 milhões de fãs no Brasil literalmente não significam nada na grande indústria [fonográfica]. É considerado um mercado ‘B-C’. Não um mercado ‘A’. EU NÃO FAÇO AS REGRAS. Azealia Banks é uma figura icônica na cultura feminina, gay e fashion INTERNACIONAL, e vocês vão respeitá-la ou não a terão. Eu não perco nada em nunca mais voltar ao Brasil. E acredite em mim – a forma como vocês me incomodam… eu NUNCA MAIS voltarei ao Brasil. Nem mesmo para passar férias. Boa viagem. Estou farta dos gays brasileiros me xingando com inglês ruim e me implorando por sabonetes e ingressos de graça. Tentei dar o meu melhor, mas vocês se viraram contra mim por nada. CANSEI”, afirmou Azealia Banks.