Patricia Marx confessa que era homofóbica: “Eu tinha medo”

A artista namora uma mulher aos 46 anos

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Patricia Marx assumiu seu namoro lésbico para o público no ano passado e agora, durante uma entrevista, ela revelou que era homofóbica.

A ex-integrante do grupo, Trem da Alegria, namora há um ano com Renata Pedreira, que é arquiteta. 

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Segundo informações da revista Quem, Patricia revelou que sentia atração e interesse em mulheres desde a adolescência, mas que foi educada em uma época que lésbicas eram motivos de chacota.

“Até minha vida sexual acabou se tornando uma grande ruptura com todo esse universo machista. Finalmente tive a coragem de me assumir lésbica. Me permiti viver isso. Vi que as relações com os homens não davam certo”, ela disse.

VEJA MAIS: Site expõe dossiê sobre supostas traições de Nego do Borel; confira

“Eu tinha interesse em mulheres desde a adolescência, mas reprimia isso porque fui educada em uma época homofóbica que fazia das lésbicas uma chacota. Eu tinha medo. Eu mesma era homofóbica”, a artista confessou.

“Lutava contra mim, me agredia, não gostava de mim mesma, achava que era errado e feio… Eu vivi essa coisa esquisita de me reprimir. Me sentia incompleta e com um vazio mesmo tendo uma carreira, um filho e uma casa”, disse.

A artista de 46 anos disse que após muitos anos de análise se permitiu experimentar. “Mudei a minha cabeça e a minha vida. Nunca estive tão liberta”, ela revelou.

Patricia Marx demonstra com frequência todo seu carinho pela amada, Renata Pedreira.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio