Polêmica! MC Mirella seria vítima em caso sobre quadrilha de prostituição

A morena seria vítima de Rodrigo Otávio Cotait, que de acordo com a Polícia Federal, lidera um complexo esquema de exploração sexual

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A funkeira MC Mirella e a modelo Nubia Oliiver estão sendo ouvidas em um caso envolvendo uma rede de prostituição internacional. As informações são do SBT News, e foram replicadas pela Quem. Logo após a divulgação da matéria, a assessoria da funkeira entrou em contato com o Observatório de Música e esclareceu que Mirella foi convidada a depor sobre o caso na condição de vítima e não como aliciadora noticiado anteriormente.

A advogada Adélia Soares esclareceu que sua cliente Mirella “já contribuiu com seu testemunho, e várias outras pessoas também vítimas da quadrilha foram ouvidas”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

ENTENDA O CASO

Wissam Nassar, um influente empresário proprietário de um dos maiores shoppings do Paraguai seria investigado por explorar sexualmente menores de idade, agenciadas por Rodrigo Otávio Cotait a pedido dele. A abordagem era feita em redes sociais.

A investigação apontou que ele era dono de uma agência de modelos, para disfarçar o esquema no mercado sexual. Fotos das mulheres agenciadas eram ofertadas em sites específicos, em um formato chamado pelos agentes federais de “broadcast” da prostituição. Para aliciar as meninas, o acusado se passava por proprietário de uma marca de cosméticos chamada Tommy G e se aproximavam delas no Instagram.

A polícia descobriu que muitas garotas se quer tinham se prostituído antes e aceitaram o convite por dificuldades financeiras. Uma das jovens chegou a mandar uma foto com a geladeira vazia para o agenciador, que se demonstrou completamente misógina em uma troca de mensagens descoberta.

“É o seguinte, a mulher tem três funções. Primeira, lógico, a mais importante: putaria, evidente. Segunda: ‘ai Rô, não faço, não gosto de putaria’, não tem problema, amor, você tem função ainda: você pode ser útil, me apresente suas amigas. ‘Ai Rô, não tenho amiga’. Não tem problema, você vai ter uma função finalmente: por favor, vassoura e pano de chão tá ali, vamos limpar a casa né?”, escreveu Rodrigo segundo a Quem.

VEJA MAIS: Katy Perry surge de maiô pela primeira vez após dar à luz; confira

Ainda de acordo com a Polícia Federal, a modelo Nubia Cassia de Oliveira, conhecida como Nubia Oliiver, era uma dessas pessoas que facilitavam o contato para a cabeça da quadrilha. Ela enviava fotos sensuais de outras mulheres ao agenciador e combinava um programa sexual com uma delas em troca de uma comissão de mil reais.

A cantora Mirella Fernandez, a MC Mirella, foi inicialmente acusada de aliciar uma adolescente de 17 anos. Ela teria oferecido R$ 5 mil para que a garota se encontrasse com Wissam segundo informação publicada inicialmente pela Quem. Porém segundo esclarecido por sua advogada, Mirella também acabou sendo vítima do empresário. O próprio Rodrigo admite — nas comunicações interceptadas — ter aliciado a cantora quando ela tinha 16 anos. Ao SBT News, Mirella admitiu ter sido explorada pela quadrilha.

Já o advogado de Nubia, Rodrigo Carneiro Maia Bandieri, enviou um comunicado oficial. “Como os autos tramitam em sigilo, por ora, a defesa técnica da Sra. Nubia Cassia Ferreira de Oliveira, irá respeitá-lo, ou seja, não nos manifestaremos sobre a investigação policial federal. Aliado a isso, fomos constituídos na data de ontem, e ainda não conseguimos acesso ao inteiro teor. Em momento oportuno poderemos falar”, diz.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio