taylor swift
A cantora norte-americana Taylor Swift (FOTO: Reprodução)

Os desdobramentos da briga entre Taylor Swift e a Big Machine continuaram nesta sexta-feira (dia 15) com uma acusação de mentira pública e da existência de uma dívida milionária.

Através de um comunicado enviado à imprensa norte-americana e publicado pela Billboard, a ex-gravadora da cantora aponta que não proibiu Taylor de apresentar suas canções antigas que pertencem ao catálogo da Big Machine e ainda afirma que Taylor deve dinheiro à sua antiga empresa.

Como parceiros de Taylor por mais de uma década, ficamos chocados em ver os depoimentos no Tumblr ontem baseados em falsa informação. Em nenhum momento dissemos que Taylor não poderia se apresentar no AMAs ou bloqueamos seu especial para a Netflix. Na verdade, nós não temos o direito de proibi-la de se apresentar ao vivo onde quer que seja. Desde que Taylor tomou a decisão de deixar a Big Machine no último outono, nós continuamos a honrar todos os seus pedidos de licença de catálogo a terceiros enquanto ela promove seu atual álbum que nós não temos participação financeira.

VEJA TAMBÉM: MC Gui é acusado de maltratar outra criança com câncer

A verdade é que Taylor admitiu dever milhões de dólares contratualmente à nossa empresa, que é responsável por 120 trabalhadores dedicados que a ajudaram a construir sua carreira. Nós trabalhamos incansavelmente para conversar com ela e seu time sobre essas questões nas últimas duas semanas e estávamos otimistas até ontem. No entanto, apesar dos nossos esforços de encontrar uma solução satisfatória e privada, Taylor tomou uma decisão unilateral ontem à noite de envolver sua base de fãs em uma ação calculada que afeta a segurança dos nossos empregados e suas famílias.

Taylor, a narrativa que você criou não existe. Tudo o que nós pedimos é ter uma conversa direta e honesta. Quando isso acontecer, você vai ver que não há nada além de respeito, compaixão e apoio esperando por você do outro lado. Até a data de hoje, nenhum dos pedidos de conversa foi aceito. Rumores surgem na falta do diálogo. Não vamos continuar nisso. Nós dividimos um objetivo coletivo de dar aos seus fãs o entretenimento que eles querem e merecem”.

A RESPOSTA DE TAYLOR

Agora num novo comunicado, a assessoria de Taylor inclusive divulga uma suposta mensagem que teria sido enviada a ela pela Big Machine onde estaria sendo negado o direito de ela usar suas próprias músicas em um evento e em um documentário da Netflix. O texto afirma ainda que, na verdade, quem estaria devendo dinheiro a alguém é a Big Machine Records: US$ 7,9 milhões por conta de royalties por direitos autorais. Leia abaixo:

“A verdade é que, no dia 28 de outubro de 2019 às 17h17, o vice-presidente de direitos autorais e negócios do Big Machine Label Group enviou à equipe de Taylor Swift a seguinte mensagem:

‘Por favor estejam avisados de que o BMLG não concordará com emissão de licenças para gravações existentes ou com renúncias de restrições de regravações em conexão com esses dois projetos: o documentário da Netflix e o evento Alibaba Double Eleven’.

Para evitar uma briga sobre direitos autorais, Taylor Swift apresentou três músicas de seu álbum novo ‘Lover’ no evento da Double Eleven, já que estava claro que o Big Machine Label Group sentia que qualquer performance televisionada do catálogo de canções violava seu acordo. Além disso, ontem Scott Borchetta, CEO e fundador do Big Machine Label Group, negou categoricamente o pedido para o American Music Awards e a Netflix. Por favor, percebem que, no comunicado da Big Machine, eles nunca negam qualquer reivindicação que Taylor Swift disse na última noite em seu post.

Por último, Big Machine está tentando desviar e tornar isso sobre dinheiro, dizendo que ela lhes deve. Mas um auditor profissional e independente determinou que a Big Machine deve US$ 7,9 milhões a Taylor por royalties não pagos ao longo dos anos”.

RELEMBRE A DISPUTA

O que rolou é que Taylor Swift descobriu que o empresário Scooter Braun comprou a Big Machine Records, gravadora da qual ela era contratada até meses atrás. Assim, o empresário passou a ser proprietário das gravações originais (“masters”) da popstar.

O magnata portanto, passou a ser a dono de tudo o que ela gravou até o álbum “reputation”, mais precisamente. O grande problema é que Taylor Swift desaprova totalmente Scooter Braun – e tem suas razões. A cantora, inclusive publicou uma carta aberta no Tumblr explicando seus motivos e já afirmou que pretende regravar todos os seus álbuns no próximo ano.