Por que Freddie Mercury parou de tomar remédios semanas antes de morrer?

A ex-parceira do cantor já fez revelações sobre o assunto

Publicado em 10/10/2021 14:38
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Queen está entre as bandas de rock de maior sucesso na história da música. Formada em 1970, a banda lançou vários álbuns, que mais tarde se tornaram verdadeiros clássicos. Com suas realizações musicais e som influente, eles alcançaram um estrondoso sucesso internacional. Entre os membros da banda, aquele que estava sempre sob os holofotes com seu notável talento musical foi Freddie Mercury.

Junto com seu alcance vocal de quatro oitavas e habilidades únicas de canto, Mercury também desafiou as convenções de um vocalista do rock com sua personalidade extravagante e apresentações teatrais.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em 24 de novembro de 1991, Mercury faleceu aos 45 anos, mas deixou um legado épico, que está vivo até hoje. No entanto, posteriormente foi revelado que o cantor quis acelerar sua morte e parou de tomar a medicação.

Freddie Mercury tinha AIDS, mas manteve a doença em segredo

Freddie Mercury morreu devido a complicações da AIDS. Ele começou a apresentar os sintomas da doença na década de 1980.

Em outubro de 1986, Mercury fez teste para detecção de HIV/AIDS. Embora seu parceiro Jim Hutton tenha afirmado que Mercury foi diagnosticado no final de abril de 1987, o músico afirmou que o teste deu negativo em uma entrevista.

Depois disso, Freddie começou a aparecer menos no palco, e a turnê do Queen entrou em hiato. No Brit Awards de 1990, em 18 de fevereiro, Mercury fez sua última aparição no palco com a banda para receber o Brit Award de “Melhor Contribuição para a Música Britânica”.

Mercury negou os rumores que estavam circulando e manteve seu estado de saúde privado, escondendo até mesmo daqueles mais próximos a ele. De acordo com o diretor do videoclipe de ‘These Are The Days Of Our Lives’, Freddie nunca quis falar sobre a doença para não sobrecarregar os outros.

Freddie Mercury queria acelerar sua morte

Naquela época, a ex-parceira de Mercury, Mary Austin, visitava regularmente sua casa para cuidar dele. Antes de morrer, o músico começou a perder a visão e não conseguia sair da cama. Segundo Mary Austin, esse foi o motivo pelo qual ele passou a recusar a medicação semanas antes de sua morte.

Mary Austin disse à OK! Magazine: “Foi a decisão de Freddie finalmente acabar com tudo. Ele escolheu a hora de morrer. Ele sabia que isso ia acontecer. Sua qualidade de vida havia mudado drasticamente e ele sentia mais dores a cada dia. Ele estava perdendo a visão. Seu corpo ficou mais fraco porque ele sofreu ataques leves. Era tão angustiante vê-lo se deteriorando dessa forma.”

Austin seguiu relatando: “Um dia ele decidiu que já era o suficiente e parou todos os suplementos médicos que o estavam mantendo. A coisa mais impressionante para mim é que ele era incrivelmente corajoso. Ele olhou a morte nos olhos e disse: ‘Tudo bem, eu a aceito agora – Eu vou. Mas foi tranquilo e ele morreu com um sorriso no rosto.”

Em 22 de novembro de 1991, Mercury ligou para o empresário do Queen, Jim Beach, para preparar uma declaração pública. No dia seguinte, ele divulgou o comunicado para confirmar que era portador do vírus HIV. Apenas 24 horas após a emissão do comunicado, o icônico músico morreu em sua casa aos 45 anos.

Quando a triste notícia veio à tona, todos se sentiram arrasados, incluindo seus amigos íntimos, família e membros da banda. Não está claro qual medicamento ajudou Mercúrio nessa fase, o músico optou por não sofrer mais.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio