Preso por envolvimento com tráfico de drogas, Rennan da Penha é indicado ao Grammy Latino

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Grammy Latino anunciou ontem os seus últimos indicados e listou, entre os concorrentes à categoria “Melhor Vídeo Musical Versão Curta” , o DJ Rennan da Penha, que cumpre pena desde abril por associação ao tráfico de drogas. Rennan foi indicado pela música “Me Solta”, funk em parceria com Nego do Borel. Mesmo preso, o músico também segue concorrendo ao Prêmio Multishow com “Hoje eu vou parar na Gaiola”, funk com MC Livinho.

VEJA TAMBÉM: Anitta manda indireta para quem queria “acabar com sua carreira”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os vencedores do Grammy hispânico vão ser anunciados no dia 14 de novembro, em Las Vegas, nos Estados Unidos. A namorada de Rennan, a jovem Lorenna Vieira, 20 anos, fez uma postagem em seu Stories do Instagram comemorando a indicação. “Aí eu te falo: quem nasceu pra brilhar, nasceu pra brilhar. Não tem jeito. O cara é brabo. E quando ele sair, é só vitória”, afirmou a jovem em uma das postagens. Em outra publicação, ela declara não estar acreditando na indicação.

ENTENDA O CASO

Em março, a Justiça do Rio de Janeiro apresentou um mandado de prisão contra o DJ Rennan da Penha. O jovem músico, de 25 anos, foi condenado em segunda instância, depois de ser inocentado na primeira instância e após um recurso do Ministério Público do Rio (MP-RJ). As acusações contra o DJ Rennan da Penha são por associação para o tráfico de drogas.

Segundo informações do jornal Extra, Rennan da Penha deverá cumprir 6 anos e 8 meses em regime fechado. O músico é DJ residente e idealizador do famoso Baile da Gaiola, que acontece sazonalmente na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio.

A decisão também determinou a prisão de outros dez denunciados além de Rennan da Penha. A acusação que recai sobre o DJ é dele ter atuado como “olheiro” do tráfico, além de promover bailes e criar músicas que enalteciam traficantes fazendo apologia ao crime.

O funkeiro que na verdade se chama Renan Santos da Silva, ficou conhecido no segmento por músicas de ritmo bastante acelerado. O funk tradicional está em 130BPM enquanto Rennan e amigos decidiram dar uma acelerada na questão deixando o ritmo em 150BPM.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio