Preta Gil
A cantora carioca Preta Gil (FOTO: Divulgação)

O imbróglio entre Anitta e Ludmilla segue dividindo fãs e dessa vez envolve uma prática considerada crime por usuários que se dizem fãs da cantora de “Veneno”. Através de um áudio de 11 minutos, Ludmilla já denunciava o racismo praticado por parte dos fãs quando ela subiu ao palco do último Prêmio Multishow e foi chamada de “macaca”.

Diante do conteúdo preconceituoso disparado por supostos “fãs” de Anitta alguns famosos vem criticando a atitude de alguns internautas que seguem atacando Ludmilla. Foi o que a jornalista e humorista Maíra Azevedo (a Tia Má) compartilhou em suas redes sociais. Dando apoio, Preta Gil compartilhou. Confira abaixo:

“Não importa quem tem a razão nesta treta! Mas na briga entre duas grandes artistas brasileiras, o RACISMO é o grande protagonista!
Antes de ser cantora, de ser uma compositora, Ludmilla é uma MULHER PRETA e quando ela sofre ataques racistas, todas nós sofremos também!

VEJA TAMBÉM: Anitta dança de biquíni com Gui Araújo e recebe tapinha no bumbum

Vidas negras importam?!? Essa frase se popularizou aqui no Brasil, mas percebemos que é apenas uma frase de efeito, não se tem prática. É possível se posicionar sem atacar. A tentativa constante de tentar depreciar Ludmilla a partir da sua condição racial é o retrato do racismo no Brasil.

Ninguém se reconhece racista, mas se sente confortável em atacar uma mulher preta chamando de MACACA, reforçando a ideia escravocrata e perversa de que pessoas pretas são animais. É preciso entender que esses ataques não são apenas contra uma artista, mas a todo coletivo de mulheres pretas do Brasil. A animalização dos nossos corpos resulta em nossas mortes e não vamos aceitar!

O racismo mata e enlouquece, e permitir isso é ser conivente com um crime perverso e brutal que nos aniquila! Tenha a sua opinião, mas não aceite a opressão”.