Preta Gil
A cantora carioca Preta Gil (FOTO: Divulgação)

Preta Gil relembrou um momento bem polêmico de sua carreira. Em sua participação no programa ‘Sterblitch Não Tem Um Talk Show: O Talk Show’ do último sábado (15), a cantora relembrou a época em que posou pelada na capa do seu primeiro CD, e precisou ser forte para as críticas e julgamentos do público.

Ela disse: “Capa nua foi um escândalo, parecia que eu tinha matado alguém. Eu me lembro que era muito só. Eu falava de coisas que as pessoas me olhavam e ficavam ‘do que você está falando?’. E hoje, todo o meu discurso de 18 anos atrás é chamado de empoderamento. E isso se dá justamente da gente ir se identificando, comunicando e criando grandes elos.”

Ao se lançar na carreira de cantora, Preta foi alvo de racismo e gordofobia ao longo da vida. “Dei o meu ‘showzinho’. Eu tenho isso na minha personalidade. Mas isso não é a regra, é a exceção. Por isso, que juntar vozes, se unir, criar coletivos consistentes, você vai quebrando a opressão“, explicou a filha de Gilberto Gil.

LEIA TAMBÉM: Simon Cowell muda hábitos alimentares após acidente que quase lhe deixou paralisado

Capa do CD Prêt-à-Porter de Preta Gil (FOTO: Reprodução)

A cantora também falou sobre a família, e o apoio que recebeu depois de ter contraído o novo coronavírus. “Coisa mais legal, dentro de uma família, é ter pessoas tão diferentes e que se amam muito. Eu amo muito a minha irmã [Bela Gil], acho ela revolucionária [Sol de Maria]. Eu tenho um orgulho que explode! E o maior presente foi a minha neta“, revela.