Lizzo
A cantora norte-americana Lizzo (FOTO: Reprodução)

Lizzo provavelmente está se sentindo muito feliz depois que um juiz federal da Califórnia rejeitou um processo contra ela por dois compositores que dizem ter ajudado a criar “Truth Hurts”.

Tudo começou em outubro de 2019, a famosa pediu ao tribunal uma declaração de que os irmãos Justin e Jeremiah Raisen não co-escreveram seu hit vencedor do Grammy e, portanto, não têm direito a nenhum de seus lucros. Os compositores reagiram em fevereiro, argumentando que “Truth Hurts” é uma obra derivada baseada em uma canção chamada “Healthy” que eles criaram com a artista no início de 2017.

Ela afirma que a única coisa significativa que saiu daquela sessão foi a frase “Acabei de fazer um teste de DNA, mas sou cem por cento aquela vadia”, inspirada por um tweet viral apresentado por outro compositor (Jesse Saint John Geller, que não faz parte do litígio) trazido ao grupo. Depois que a notícia da disputa foi divulgada, Lizzo criticou os irmãos por alegarem que a ajudaram a escrever a música, mas deu à mulher que escreveu o tweet o crédito de composição. 

A Corte Distrital dos Estados Unidos, Dolly M. Gee, concedeu na sexta-feira (14) a moção de Lizzo para rejeitar as contra reivindicações dos irmãos, concordando com a artista que “um co-autor de uma obra protegida por direitos autorais não obtém automaticamente a propriedade de uma obra derivada.”

VEJA TAMBÉM: Ex-stripper, Cardi B revela ter dado “sentada violenta” em cliente: “Quebrei o nariz”

“Sem decidir quem, de fato, é o autor das músicas em questão, e sem revisar as gravações ou letras das músicas, o Tribunal pode determinar que os contra reclamantes aleguem que as partes colaboraram e finalizaram uma música – Healthy – antes que Lizzo supostamente copiasse partes dessa música para fazer “Truth Hurts”, escreve Gee. “Por uma questão de lei, portanto, mesmo que eles sejam coautores de Healthy, eles não alegaram qualquer participação acionária em Truth Hurts, que eles afirmam ser um trabalho derivado de Healthy.”

Mas Gee está permitindo que os Raisens deixem de fazer alterações, descobrindo que uma seção de sua oposição ao processo de Lizzo indica que “eles agora pretendem alegar que sua colaboração com Lizzo na criação de Healthy foi parte integrante do processo criativo que levou a uma única obra acabada , Truth Hurts.”

Ela não parece convencida, porém, de que uma emenda fará muita diferença. 

“[Os] fatos que os Counterclaimants expuseram em sua petição – que as partes criaram um produto acabado, Healthy, e elementos Lizzo ‘derivados’ ou ‘copiados’ de Healthy para fazer um segundo produto acabado, Truth Hurts – são irreconciliavelmente inconsistentes com os fatos como a oposição agora os concebe – que, o tempo todo, as partes pretendiam que a Healthy fosse apenas uma parte do processo de criação de um único produto acabado, Truth Hurts”, escreve Gee. Ela observa que “as partes não abordam o impacto dessa contradição em seus papéis”, mas, no interesse da cautela, está lhes dando uma chance e avisa que “alegações inconsistentes podem ser usadas para minar a credibilidade do litigante.”

View this post on Instagram

“You can’t wear a crown with your head down”

A post shared by Lizzo (@lizzobeeating) on