katy perry
A cantora norte-americana Katy Perry (FOTO: Reprodução)

Mesmo com a decisão da Justiça norte-americana desfavorável à Katy Perry no caso de suposto plágio de “Dark Horse”, tem muita gente na indústria fonográfica que continua defendendo a cantora com receio de que o processo possa abrir precedentes para outros casos similares.

Uma dessas pessoas é o produtor musical de cinema Paul Croteau, que defende a inocência de Katy Perry e mostrou evidências de que a decisão judicial teria sido equivocada e segundo ele “feita por um juri musicalmente ignorante”.

VEJA TAMBÉM: Anitta quase ficou com a vaga de IZA no The Voice Brasil

Exibindo trechos das partituras das duas canções, “Dark Horse” e “Joyfuk Noise”, Paul Croteau explicou que as faixas não são idênticas e possuem somente o “groove” parecido.

“Katy Perry foi roubada por um juri musicalmente ignorante. Tom e tempo diferentes, notas diferentes e batida diferente! Música Trap é repetitiva e em notas menores. Os grooves são similares, sim. Uma cópia? Não. Compositores devem ficar preocupados com esse veredito. Amo sua mensagem, Flame, mas você não deve roubar”, afirmou Paul Croteau.

Paul ainda fez uma segunda postagem, mostrando as partituras das duas músicas. “A bateria é totalmente diferente, o tema musical é levemente diferente. Ela precisa de advogados melhores”, escreveu o produtor musical.

Com a decisão judicial, Katy Perry e os envolvidos na criação de “Dark Horse” deverão pagar uma multa milionária sobre os lucros gerados pela canção, um dos maiores sucessos da carreira da cantora norte-americana. A canção chegou a ficar 4 semanas no primeiro lugar da Hot 100 da Billboard e tem a assinatura dos produtores Max Martin e Dr. Luke.