Qual o valor do look de RM, do BTS, para o programa do Jimmy Fallon?

Publicado em 17/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Recentemente, BTS concedeu uma entrevista ao ‘The Tonight Show, estrelado por Jimmy Fallon‘, para um evento de takeover de duas noites. Os membros foram entrevistados para falar sobre suas novas músicas e esclarecer alguns rumores. Suas últimas canções, “Permission to Dance” e “Butter”, também tiveram sua estreia na TV americana.

Bom, agora veja quanto custa para se vestir igual a RM, em um primeiro momento ele apareceu com uma camisa paisley combinando e calças da Needles, que custam $ 329 e $ 355 USD, respectivamente. O que totaliza R$ 3.500 mil.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

(Foto: Reprodução)

Para a apresentação de “Permission to Dance”, ele usou uma camisa de Martine Rose por $ 564 dólares. Por cima, ele usava um cardigã letterman da Ralph Lauren por US $ 298. Suas botas também são Ralph Lauren e custam $ 990 USD. O que totaliza R$ 9.482 mil.

(Foto: Reprodução)

Durante a entrevista com Jimmy Fallon, RM usou uma camiseta com estampa de trança da Time Homme por $ 257,93 dólares. Ele adquiriu o acessório “Persona Ball Bead Bracelet da Aphrose e“ Lyndon Two-Tone Sandals ”da Officine Creative por $ 51 e $ 636 USD. O que totaliza R$ 4,833 mil.

(Foto: Reprodução)

Para a performance de “Butter”, RM vestiu a “Shark-Collar Shirt em Shiny and Matte Leopard Silk” da Saint Laurent por $ 1.190 USD. Seus brincos são “Stone One Touch” da Hei por apenas US $ 24. O que totaliza R$ 6,215. Então, para se vestir igual ao líder do BTS, você precisa desembolsar um total de R$ 24.030 mil.

(Foto: Reprodução)

VEJA TAMBÉM: Quem fica com a fortuna gerada pelo grupo BTS?

Empresa russa diz que BTS é culpado de “tornar as crianças pervertidas”

Nesta quinta-feira (15), uma gráfica russa se recupou a imprimir imagens do BTS, alegando que o grupo faz com que as crianças “se tornem pervertidas”. A informação é do jornal Russian Times, e foi noticiada pelo site NME, e traduzida pelo POPline.

A reportagem diz que os donos de um café temático sobre K-Pop, o PinkyPop Café, fizeram um pedido na gráfica de banners, cartões e até merch do BTS e Stray Kids. Contudo, por meio de Stories publicados no Instagram, o estabelecimento explicou que a empresa negou oferecer o serviço.

“Discutimos todo o trabalho e detalhes, e fizemos nosso primeiro pedido”, escreveram os donos. “Depois de verem as fotos do BTS e Stray Kids que eles deveriam imprimir, começaram a nos ignorar”.

Foi então que o café expôs uma mensagem que recebeu da gráfica: “Entendo corretamente que essas pessoas têm uma orientação não tradicional?“, diz uma delas. A gráfica continuou, então, declarando que eles não iriam prosseguir com o pedido, alegando que o grupo não está “escondendo sua orientação“.

O fornecedor continuou a disseminar ódio contra o BTS, perguntando aos donos do café se eles queriam que “[seus] filhos se tornassem pervertidos“, acrescentando que seria “estúpido apoiar algo que deixaria você sem netos“.

De acordo com o jornal russo Super, a gráfica inicialmente se recusou a responder às alegações, mais tarde o chefe da empresa disse que o estabelecimento tinha “clientes ‘normais’ o suficientes para poder escolher com quem trabalhar e com quem não trabalhar“.

Radialista que comparou BTS ao coronavírus é afastado de programa

Em 24 de Fevereiro de 2021, Matthias Matuschik, um radialista alemão, da emissora Bayern3, fez um comentário xenofóbico ao comparar o grupo sul-coreano BTS ao vírus do COVID-19.

O comentário veio após o cover que o grupo fez da música ‘Fix You’, da banda inglesa Coldplay. O radialista não gostou da versão feita pelo grupo de K-pop e inclusive chegou a falar que o grupo é “algum vírus de merda que eu espero que a vacina esteja disponível logo”.

Na época do ataque, a web se juntou para subir as tags RACISM IS NOT AN OPINION’ [“Racismo não é uma opinião”] e ‘#Bayern3Racist’ [Bayern 3 Racista] em resposta à declaração do radialista.

VEJA MAIS: Katy Perry surge de maiô pela primeira vez após dar à luz; confira!

Após repercussão negativa, Matuschik tentou justificar seu comentário. “Não tenho nada contra a Coreia do Sul. Não posso ser acusado de xenofobia apenas porque esta boy band é da Coreia do Sul … Eu tenho um carro da Coreia do Sul. Tenho o carro mais legal que existe”.

Muitas pessoas acharam que este pedido de desculpas era, na melhor das hipóteses, pouco sincero, e que não resolveu a situação.

Pois bem, depois de toda esta polêmica, Matuschik foi afastado do programa de 3 horas que apresentava 3 vezes por semana. Em vez disso, ele vai fazer um podcast no final de Junho e a nova atração será apenas uma vez uma ou duas vezes por mês.

A Bayern 3, no entanto, declarou que a alteração não está relacionada com as críticas que Matuschik recebeu. “Não há nenhuma ligação direta com as acusações de racismo que o anfitrião Matthias Matuschik desencadeou em Fevereiro sobre a banda K-pop BTS. Na época, Matuschik estava zangado porque a banda coreana fez um cover de um sucesso do Coldplay e insultou os artistas. Então, Matuschik e Bayern 3 pediram desculpas”.

Relembre a repercussão da fala do radialista na época:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio