Quatro pessoas são condenadas na França, por acidente fatal em show de Madonna

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após 11 anos, o julgamento decorrente do colapso fatal de um palco que estava sendo montado para um show de Madonna na cidade de Marselha, no sul da França, finalmente aconteceu. Nesta quarta-feira (17), quatro pessoas foram condenadas a dois anos de prisão.

Os juízes do tribunal de Marselha, cidade da apresentação em 2009, condenaram quatro réus acusados por homicídio e danos involuntários. Três pessoas foram absolvidas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

(FOTO: Reprodução AFP / Michel Gangne)

Entenda o acidente:

Três dias antes de ela se apresentar no estádio de futebol Velodrome de Marselha, o teto do palco desabou, matando Charles Criscenzo, 52, e Charles Prow, 23.

Giuseppe di Silvestro, que estava entre os feridos, suicidou-se dois anos após o acidente do palco de Madonna.

VEJA MAIS: Site expõe dossiê sobre supostas traições de Nego do Borel; confira!

Depois de uma investigação de 10 anos, dois adiamentos e uma suspensão, o julgamento começou com a presidente do tribunal, Marie-Pierre Attali, destacando “a necessidade de prestar atenção às partes civis e seus entes queridos, que realmente precisam que este julgamento aconteça”.

Ela observou que atrasos adicionais, em particular devido ao coronavírus, devem ser evitados a todo custo. Entre os 11 réus estão Live Nation France 2006, que organizou o concerto, o Edwin Shirley Group (ESG) que foi dono do palco, Tour Concept France que ajudou a montá-lo, Mediaco, uma empresa que possuía um guindaste implicado no acidente, e Scott Seaton, cidadão britânico contratado pelo ESG como capataz.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio