Michael Jackson
O astro norte-americano Michael Jackson (FOTO: Annie Leibovitz)

Enquanto artistas como Stevie Wonder ou Prince entraram pra história da música mundial como verdadeiros gênios instrumentais, o Rei da Pop e astro Michael Jackson não tocava nenhum instrumento particularmente bem, embora ele fosse capaz de tocar um pouco de bateria, piano e guitarra.

Jackson também não conseguia ler partituras, ao contrário de muitos outros músicos famosos, e não tinha formação clássica em instrumentação ou composição. Porém, o músico afirmou num processo judicial de 1994, envolvendo o hit “Dangerous” que ele conseguia ouvir canções completas na sua mente, quase como o compositor clássico Mozart.

VEJA TAMBÉM: Sexo a três, homens e mulheres: a vida sexual de Janis Joplin

Segundo documentos do tribunal obtidos pela NME, Jackson afirmou: “A letra, as cordas, os acordes, tudo vem no momento como um presente que é colocado na sua cabeça e é assim que eu ouço”. Vou apenas cantar a parte do baixo para o gravador. Vou pegar nesse baixo e colocar os acordes da melodia sobre o baixo e é isso que inspira a melodia”.

Durante o processo, onde o compositor Crystal Cartier acusou Jackson de plágio por causa da sua canção Dangerous, o Rei do Pop chegou a explicar no tribunal como ele compõe as suas próprias canções, dando detalhes do seu processo de escrita. Explicou inclusive como chegou a escrever a canção Billie Jean: “Ouve, estás a ouvir quatro baixos ali, a fazer quatro personalidades diferentes, e é isso que lhe dá carácter, mas é preciso muito trabalho”.

No seu livro Rhythm of the Tide, o engenheiro de som Rob Hoffman descreveu como era trabalhar com Jackson, e como o astro abordava de maneira detalhada e ilustrativa a composição que estava em sua mente. Ele disse:

“Uma manhã, MJ chegou com uma nova canção que tinha escrito durante a noite. Chamamos um guitarrista, e o Michael cantou-lhe todas as notas de cada acorde. ‘Aqui está o primeiro acorde, a primeira nota, a segunda nota, a terceira nota. Aqui está o segundo acorde, primeira nota, segunda nota, terceira nota”, etc., etc. Vimo-lo então a dar a mais sentida e profunda performance vocal, ao vivo na sala de controlo através de um SM57″.

Em relançamentos dos seus famosos álbuns Off the Wall e Thriller, Jackson pode ser ouvido fazendo demonstrações do tipo com os seus irmãos enquanto canta uma canção completa. Em uma demo, uma de suas irmãs é ouvida reclamando que o som está muito alto enquanto Jackson e outros de seus irmãos estão cantando.

Claro que nenhum homem é uma ilha, e Jackson também se juntou ao longo da brilhante carreira a alguns compositores conhecidos para lhe ajudarem a melhorar as suas composições, como Quincy Jones e Rod Templeton.