bolsonaro
(FOTO: Reprodução)

O primeiro turno das últimas eleições para presidente do Brasil, aconteceram em 7 outubro de 2018 e já podem ser consideradas as mais polêmicas da história da democracia nacional. Durante a campanha eleitoral, diversos músicos e cantores optaram por aderir às propostas dos candidatos e divulgaram nas redes sociais em quem pretendiam votar. Com tantas declarações ácidas feita por alguns candidatos, muitos também declararam em quem não iriam votar, por exemplo por meio da campanha #EleNão.

Jair Bolsonaro, líder nas pesquisas naquele período, foi o ponto mais contraditório no mundo da cultura quando o assunto foi o apoio dos artistas. Apesar de contar com o apoio massivo de cantores sertanejos, gênero considerado o mais popular do Brasil, o ex-deputado foi alvo de protestos nas ruas e virtuais da campanha #EleNão chegando a receber manifestações internacionais contra sua candidatura. Dan Reynolds, vocalista da banda Imagine Dragons, Dua Lipa, Diplo, Cher, Madonna e Camila Cabello chegaram a se manifestar contra o político que é conhecido por declarações consideradas racistas, machistas e homofóbicas.

Após cinco meses de pandemia, o Brasil ultrapassou neste sábado (dia 8) as 100 mil mortes causadas pelo novo coronavírus e, em muitas capitais, o governo já autoriza reabertura o que vem causando praias cheias, bares abertos, jogos de futebol, tudo com máscaras e distanciamento social. Em junho, vale lembrar, o país se tornou o segundo com mais mortes pelo novo coronavírus ficando atrás somente dos Estados Unidos, que também adotaram uma política negacionista envolvendo a doença. Bastante criticado por formadores de opinião e pela imprensa na condução do país durante a crise, o presidente Jair Bolsonaro ainda possui defensores na classe artística que exaltam qualidades e ações do governante.

Mas quem são os músicos e sertanejos que continuam apoiando Jair Bolsonaro e por qual razão? Confira abaixo!

ZEZÉ DI CAMARGO

Os cantores goianos Zezé Di Camargo e Luciano (FOTO: Reprodução)

Zezé Di Camargo vem se posicionando há algum tempo sobre política, e sempre a favor no então presidente Jair Bolsonaro. E em maio não foi diferente, após a revelação do polêmico conteúdo da reunião ministerial entre o presidente e seus ministros. Na época, Zezé usou sua página para expressar sua opinião sobre a enérgica ação do governante.

Em um vídeo de aproximadamente oito minutos, o cantor afirmou que assistiu ao registro completo da reunião e disse que o fato fortaleceu ainda mais Bolsonaro. Zezé também declarou que votaria novamente no atual presidente.

“Não sou advogado do Bolsonaro, votei nele na eleição, votaria nele de novo, por minhas convicções e pela maneira que ele tem de pensar no Brasil”, disse Zezé Di Camargo no vídeo. O cantor também falou sobre a independência entre os poderes da República e ressaltou que, na opinião dele, o Supremo Tribunal Federal tem trabalhado para enfraquecer o presidente.

O que tá acontecendo no Brasil hoje, o STF tá legislando e, se brincar, vira Executivo também. O STF, hoje, deu uma prova absurda de que quer ser o único poder desse país, passando por cima de prerrogativas do presidente e do Congresso”, protestou.

No meu entender, o que tentaram imputar ao presidente Bolsonaro nesse assunto foi um tiro na água. Vocês acabaram de fortalecer mais o presidente junto ao povo. Estão querendo crucificar o homem de qualquer jeito“, completou.

BRUNO E MARRONE

bruno e marrone
A dupla sertaneja Bruno & Marrone (FOTO: Reprodução)

Durante a última live da dupla realizada em julho, o sertanejo se posicionou e revelou com destaque, seu apoio ao governo Bolsonaro. “Eu detesto falar de política. Eu gosto é de quem faz o bem pra todos“, começa Bruno. “Eu falo do Bolsonaro, não que eu seja bolsonarista. Não! Eu falo do Bolsonaro, porque ele é um cara honesto. E é o que o Brasil tava precisando, de pessoas honestas, pra limpar essas desgramaiada que tava aí, tudo roubando a gente“, fala o cantor no discurso da live.

Bruno então continuou: “Eu não quero saber se você gosta do Lula. Eu só quero saber que eu gosto do Brasil, e eu gosto de pessoas honestas, que o povo não pode roubar o Brasil. Esse dinheiro aí tem que ser distribuído certo, só isso, mais nada“. Ao finalizar, ele pede para não o atacarem após as declarações: “Não venha brigar comigo por causa de política, de porr* nenhuma não. Eu não gosto de política, eu gosto é de pessoas sérias, honestas, só, mais nada.”

Marrone também se pronunciou, mostrando apoio ao presidente. “Eu gosto do Bolsonaro também. Eu gosto muito dele“. Recentemente, Marrone afirmou inclusive que teve Covid-19 e que chegou a se tratar com cloroquina, azitromicina e corticoide. Bruno, por sua vez, brincou afirmando que só bebeu cachaça, pois teve o coronavírus e achou que era “ressaca” minimizando os efeitos da pandemia que já tirou a vida de mais de 64 mil pessoas no Brasil. Os músicos ainda disseram que o presidente Bolsonaro está correto em sua defesa do medicamento.

NETINHO

Netinho
O cantor baiano Netinho (FOTO: Reprodução)

Em março, no início da crise da pandemia, o músico baiano Netinho apareceu num protesto vestindo uma máscara, com luvas e uma bandeira do Brasil e dos Estados Unidos numa manifestação em apoio ao governo de Jair Bolsonaro. O protesto foi realizado no Farol da Barra, em Salvador

O artista, que sumiu da mídia nos últimos anos, apareceu junto de seguranças, não sendo reconhecido por outras pessoas. “Estou exercendo minha cidadania, meu patriotismo. Vim de graça”, afirmou o músico numa entrevista ao BNews. “Estou aqui porque sei quem ele [Bolsonaro] é uma pessoa transparente, sincera e honesta”.

Netinho, que recentemente enfrentou graves problemas de saúde, comentou sobre as medidas de proteção que estava adotando para sua saúde e ressaltou que os cuidados são importantes. “Estou fazendo o que todos deveriam estar fazendo hoje. Estou protegido, porque o vírus está solto por aí. Nosso dever é ir para as ruas, lutar pelo Brasil e pelo o presidente”.

Cantor do hit “Milla”, Netinho, que decidiu sair do armário em 2010, se destaca como um dos principais apoiadores de Bolsonaro no mundo da música. No Instagram, o baiano promove publicações semanais e mensais sobre as ações do governo. Sobre a ida à manifestação o músico publicou a seguinte mensagem:

“Fui ontem, protegido (máscaras troquei de 2 em 2 horas, luvas cirúrgicas e álcool gel), exercer a minha cidadania e o meu patriotismo com os amigos do grupo do qual sou padrinho, BRASIL AME-O OU DEIXE-O. Levei minha bandeira dupla face Brasil/Estados Unidos, a mesma que eu sempre usei para finalizar meus shows nos Estados Unidos, e meu apito. Levei 100 máscaras cirúrgicas para doar aos que não tinham. Não peguei na mão de ninguém, não beijei ninguém, cumprimentamos encostando os cotovelos. Amigos, missão cumprida com honra e muito patriotismo. Meu orgulho está em festa. Obrigado”.

GUSTTAVO LIMA

Apoiador de longa data de Jair Bolsonaro, Gusttavo Lima voltou a falar sobre o presidente em live que aconteceu neste domingo (02). O cantor declarou: “Parabéns, Bolsonaro! Você tirou dez! Levando água para milhões e milhões de pessoas que dependem da transposição do Rio São Francisco”.

Em referência ao fato de que a obra já estava 94% concluída quando Jair Bolsonaro assumiu a presidência, o interprete de “Perrengue” continuou: “Começar uma obra é fácil, terminar que é difícil, né?”.

Mesmo em meio a diversas polêmicas envolvendo o governo, o cantor ainda afirmou: “Se um dia ele [Bolsonaro] errar, eu falo ‘você tá errado, eu não concordo com você’, mas enquanto ele acerta, temos que reconhecer”.

Para finalizar, Gusttavo Lima disse: “Parabéns, cara, você arregaçou!”. O momento já foi reconhecido por Jair e seu filho Eduardo em suas respectivas redes sociais. “Seguiremos em frente sempre!”, escreveu Eduardo. Enquanto isso, seu pai apenas descreveu: “@gusttavo_lima e a transposição do São Francisco”.

ZÉ NETO E CRISTIANO

Diante de um posicionamento recente, os cantores sertanejos Zé Neto e Cristiano compartilharam uma situação desconfortável vivenciada por eles por causa das últimas eleições presidenciais. Numa longa entrevista dada  eles lamentaram o fato de terem recebido ameaças de mortes após fazerem uma homenagem ao atual presidente Jair Bolsonaro“Eu ouvi do Edson [da dupla com Hudson] que artista não pode ter partido, religião nem torcer para time de futebol. Poxa, isso é muito chato“, afirma Cristiano. “Foi algo que deixou a gente bem mal. Ver o ódio das pessoas, sabe?”, diz Zé Neto.

O Bolsonaro é amigo nosso particular e, naquele dia, em que a gente ganhou, mandamos vídeos como aquele para um monte de gente. Estávamos muito eufóricos. Quem mandava mensagem dando parabéns, a gente respondia. E ele [Bolsonaro] mandou uma mensagem parabenizando, e a gente também mandou o vídeo. Só que ele era o Bolsonaro e ele postou. Não foi a gente. A gente nunca postou nada falando de política“, declarou Zé Neto explicando a razão de ter dedicado o prêmio ao atual presidente da República.

“A internet, hoje, está um saco. Você não pode falar mais nada, não pode fazer nada. Eu costumo dizer que, hoje em dia, tem muitos juízes e poucos advogados, poucas pessoas com amor no coração para compreender. Ninguém vai a seu favor”, acrescentou o músico, que recorda de fatos polêmicos recentes envolvendo nomes como Ferrugem e MC Gui, por exemplo: “Estão só esperando uma ‘rata’, igual à questão do Ferrugem. Não que ele estivesse certo. E também do MC Gui. Acho que eles foram infelizes em situações, mas as pessoas crucificam. Agem como se tivesse acabado a carreira do cara. Não conseguem ver nada de bom que ele fez.”

Cristiano, inclusive, afirma que concorda com a concepção do parceiro nos palcos, e revela que o caso polêmico do bullying praticado por Gui lhe fez ter uma reflexão pessoal. “Me perguntaram se eu perdoaria o [MC] Gui. Quem sou eu para não perdoar uma pessoa?”, explica o músico, afirmando acreditar na falta de amor próprio de inúmeros haters de plantão, por praticarem o ódio gratuito. Recentemente, Zé Neto causou polêmica na web ao fazer uma festa e furar a quarentena do novo coronavírus.

Num vídeo deletado por Zé Neto mas compartilhado em outros perfis nas redes sociais, o músico surge numa atitude negacionista com um grupo de amigos, explicando que todos eles já haviam sido contaminados pelo vírus. “É a turma da covid aqui”, comentou aos risos. Após a publicação do registro, Zé Neto se manifestou publicamente sobre o assunto pedindo desculpas pelo discurso.