pabllo vittar
A cantora maranhense Pabllo Vittar (FOTO: Reprodução)

Mais uma rádio vem sendo acusada de censurar Pabllo Vittar. O veículo que está sendo alvo das críticas de internautas é a Super FM 89, rádio catarinense do município de Papanduva.

Segundo o internauta Sérgio Santos, ao pedir para que a música “Parabéns” de Psirico e Pabllo Vittar tocasse na programação da rádio, a resposta foi negativa e justificada pelo gênero de Pabllo Vittar. “Não sabemos se ele é homem ou mulher”, explicou o funcionário da empresa.

O funcionário da rádio chegou a justificar também que não tocaria Pabllo Vittar pelo estilo da emissora ser mais de música sertaneja, porém basta ouvir a programação da empresa para escutar canções do gênero pop nos programas da emissora.

Esta não é a primeira vez que o nome de Pabllo é vinculado a uma suposta censura por parte de rádios. Num recente caso, um locutor chamado Emerson Antunes, da rádio paranaense, Panorama 100.1 FM, riu e se negou a tocar uma música da cantora mesmo, após um pedido de um fã.

VEJA TAMBÉM: MC Gui é acusado de maltratar outra criança com câncer

O fã chamado Ricardo Chaves enviou uma mensagem ao programa da cidade de Itapejara D’oeste, pedindo pra ouvir uma música da Pabllo. Foi então que o locutor recusou a solicitação.

“Pabllo Vittar, é isso mesmo? Pabllo Vittar não vai rolar, não hein”, afirmou, rindo ao fundo. “Vamos fazer o seguinte, troca aí por uma música boa, por um cantor bom, né? Nada contra o Pabllo Vittar, em hipótese nenhuma, mas sim contra as músicas que ele canta. Não vai rolar, essa eu vou passar”, acrescentou o locutor.

No início do ano, a rádio Oeste FM Barreiras 98.5 também foi acusada de propositalmente não tocar o single “Seu Crime” da cantora, apesar dos inúmeros pedidos de fãs ao veículo.

Rodrigo Gorky, nome por trás dos hits de Pabllo, deu uma entrevista recente ao Observatório de Música onde comentou a suposta censura que a cantora sofre nas rádios.

“Infelizmente estamos vivendo um momento muito estranho no país, onde um assunto tão sério como política é tratada não muito diferente de futebol e infelizmente artistas como Pabllo acabam caindo numa linha de fogo cruzado ridícula” comentou o produtor.