Rapper Wretch
Rapper Wretch (Foto e Reprodução)

O rapper Wretch 32 causou alvoroço com imagens de câmeras que mostravam a polícia insultando seu pai negro em sua própria casa em Tottenham. 

Na sequência do movimento Black Lives Matter, o músico Jermaine Scott pediu justiça ao divulgar imagens inéditas de câmeras datadas em 21 de abril de 2020 em seu Instagram e Twitter na terça-feira. 

Cenas dramáticas capturaram a polícia perseguindo um homem depois de invadir sua casa e passar por uma mulher na porta. Imagens angustiantes mostraram o pai de Wretch 32 caindo da escada e batendo na cabeça quando a polícia o chamou. Uma mulher gritando assistiu enquanto o homem descia as escadas no corredor.

Ela gritou: “Oh meu Deus. Eles o eletrocutaram. Os policiais avisaram que iriam atirar se ele continuasse a se mover.”

Fique onde está“, a polícia gritou no vídeo.

No início do vídeo, os policiais que se aproximavam da casa passaram por uma mulher na porta. Em um apelo à polícia, a moradora disse que estava tentando seguir as regras de distanciamento social e que não estava resistindo à polícia. 

Ela disse: “Não me toque, eu não estou resistindo, distanciamento social, por favor, não me toque.” 

VEJA TAMBÉM: Maiara volta a apagar fotos com Fernando e ele desaba na web: “Vontade de fazer nada”

Wretch 32 foi ao Instagram e Twitter para questionar as ações da polícia. 

Ele escreveu: “É assim que a polícia pensa que pode tratar um negro de 62 anos em Tottenham, mas esse é o meu pai, #Nojusticenopeace“. 

O pai de Wretch 32 não foi preso. Em uma entrevista à ITV, o pai de Wretch 32 falou a respeito da confusão pela primeira vez.

O pai expressou: “Tenho sorte de estar vivo, nós negros estamos sendo alvos“.  Wretch 32 apoiou seu pai na entrevista, dizendo que não houve progressão na “brutalidade policial“. O rapper disse que estava tendo as mesmas conversas com os filhos que teve com o pai, os avós e o tio quando era criança. 

Ele explicou: “Eu cresci em uma casa com meu pai e tio. Eu os assisti lutar contra a brutalidade policial a vida toda. Estou tendo as mesmas conversas que meu pai e meu tio, meus avós tiveram comigo quando eu era criança. Isso significa que não há progressão.” 

Um relatório da polícia aponta que após o eletrochoque, o idoso não precisou de atendimento médico. “O homem não foi preso, mas foi avaliado pelo Serviço de Ambulância de Londres no local. Ele não precisou de tratamento médico adicional.” 

Oficiais da Unidade de Comando da Área Norte entraram em contato com a família para discutir quaisquer preocupações que tenham sobre o incidente. O incidente, incluindo imagens corporais, foi revisado pela Diretoria de Normas Profissionais do Met e nenhuma indicação de má conduta foi identificada“.