jerry smith
O cantor baiano Jerry Smith (FOTO: Reprodução)

Com participações especiais de Paulo Gustavo, Léo Santana, entre outros, o cantor Jerry Smith divulgou na última quinta-feira (dia 6). o clipe de “Reladinha” sua mais nova aposta para o Carnaval

No clipe, Jerry aparece cantando dentro de um ônibus sobre “dar uma reladinha” o que acabou não pegando muito bem. Segundo Leo Dias, internautas apontaram uma associação entre transporte público e o termo de conotação sexual. Vale lembrar, que muitas mulheres sofrem com assédio dentro dos ônibus, trens e metrôs em todo o país. Procurada, a assessoria de imprensa de Jerry Smith disse que o conceito do clipe não foi criado em sugestão ao assédio feminino no transporte coletivo.

“A música é boa, mas o “reladinha” dentro do ônibus ficou MUITO sugestivo. É assédio. Acredito que não foi a imagem que ele quis passar, mas o diretor desse clipe e a equipe foram muito burros. Que tiro no pé”, afirmou o youtuber Gustavo Rocha.

Reladinha= assédio que mulheres sofrem diariamente nos ônibus”, destacou uma mulher nos comentários do vídeo postado pelo Instagram de fofoca “Alfinetei”. Contudo, a assessoria de imprensa de Jerry Smith emitiu uma nota discordando da visão de parte dos espectadores.

VEJA TAMBÉM: Irmã gêmea? Garota idêntica à Anitta viraliza na web e ganha milhares de seguidores

Algumas pessoas comentaram que o novo clipe do cantor Jerry Smith estaria sugerindo assédio às mulheres em transporte coletivo. Isso não é verdade. A intenção do artista e de sua produção é de reviver a trajetória humilde do artista que, quando mais jovem, sonhava com o dia que seu trabalho fosse reconhecido por todos, inclusive, no ônibus, forma como o jovem artista se locomovia diariamente para seu trabalho”, diz o comunicado oficial do artista.

“O jeito irreverente e divertido do artista, não permite que nada além da alegria de dançar e cantar com seu povo seja destacado no clipe, entendendo que a maldade do mundo, pode e deve ficar de fora quando ele se comunica com seu público. O artista reitera que sua intenção foi de demonstrar a alegria de poder ter ascendido em uma carreira difícil, e hoje, ser reconhecido por sua alegria e descontração, e convida todos a verem o clipe sob esta perspectiva. E se houve qualquer analogia entre o clipe e a barbárie do assédio, o cantor se posiciona contrário a este comportamento machista que deve ser combatido pelas autoridades competentes“, conclui a assessoria do cantor.