Rihanna
A cantora barbadiana Rihanna (FOTO: Reprodução)

Tema da reportagem de capa da maio da edição britânica da revista Vogue, Rihanna resolveu “abrir o verbo” numa conversa reveladora onde falou sobre racismo, maternidade e, claro, o assunto favorito dos fãs: detalhes do aguardado álbum R9.

Ao longo do bate-papo com a jornalista Afua Hirsch, a estrela barbadiana justificou um pouco mais sobre o que os fãs podem aguardar do projeto, que já foi considerado como um disco voltado pra dance music e reggae e que segue sem data de estreia divulgada. “Não sei dizer quando vou lançar, mas estou trabalhando muito agressivamente na música”.

Perguntada a respeito do gênero do novo álbum ser puxado pra reggae e dancehall, a cantora de Umbrella explicou que se sente livre pra explorar qualquer sonoridade. “Não há regras. Não há formato. Há apenas uma boa música, e se eu sentir, vou lançar” e logo depois acrescentou: “Sinto que não tenho limites. Eu fiz tudo! Fiz todos os hits, tentei todos os gêneros, mas, agora, sou eu apenas, estou bem aberta. Eu posso fazer o que eu quiser”.

VEJA TAMBÉM: Coronavírus mata lenda da música que influenciou Rihanna e Michael Jackson

Vale lembrar que mais recentemente, Rihanna terminou seu discreto namoro de anos com o empresário bilionário saudita Hassan Jameel, relação que não contou com grande exposição na mídia. Agora, a artista também resolveu refletir sobre seu momento amoroso solteira.

O empresário bilionário Hassan Jameel, ex-namorado de Rihanna (FOTO: Reprodução)

Desde que completei 32 anos, percebo que a vida é muito curta. Você não tem muito tempo para tolerar uma merda, sabe? Você coloca muito no seu prato. Quando você está sobrecarregado, precisa começar a cortar as coisas. E estou sobrecarregada demais“.

A maternidade também foi assunto da entrevista e ela revelou como se vê em dez anos: “Eu terei 42 anos! Eu serei velha. Eu vou ter filhos – três ou quatro deles”. Rihanna, inclusive, afirmou que os planos de ser mãe solteira não estão completamente descartados, caso ela não ache alguém para ser o pai dos seus filhos: “Eu sinto que a sociedade me faz querer sentir como ‘Oh, você entendeu errado …’ Eles diminuem você como mãe se não houver um pai na vida de seus filhos. Mas a única coisa que importa é a felicidade, esse é o único relacionamento saudável entre um pai e um filho. Essa é a única coisa que pode criar um filho de verdade é o amor”.

Num outro trecho, também no bate-papo com a Vogue, Rihanna falou sobre um assunto recorrente em suas entrevistas recentes: as injustiças enfrentadas pelos negros, mas afirmou que passar um tempo morando em Londres lhe fez ter uma ótica especial sobre a temática.

Eu acho que a brutalidade policial é provavelmente extremamente severa na América, mas o racismo está vivo em todo lugar. Em todo lugar! É o mesmo [no Reino Unido]. Ou é flagrante, o que está se tornando cada vez mais uma normal, ou é inconsciente, quando as pessoas nem sabem que estão sendo óbvias sobre isso”.

O ensaio e a entrevista que duraram uma noite inteira podem ser conferidos na íntegra no site da Vogue britânica.