xuxa
A apresentadora Xuxa (FOTO: Reprodução)

A apresentadora e cantora Xuxa Meneghel está prestes a lançar sua autobiografia intitulada Memórias. No entanto, mesmo sem chegar o grande dia, já espera que esse seja mais um sucesso da carreira da apresentadora. Um dos motivos, é o prefácio que Rita Lee escreveu para o livro, ao ser a primeira pessoa a ler a autobiografia.

O outro fato, é que a pré-venda on-line do livro se esgotou em apenas 17 minutos e a obra já com o título de mais vendidos na categoria de biografia do site da Amazon. Em entrevista ao colunista Leo Dias, do portal Metrópoles, a apresentadora, eterna rainha dos baixinhos, abriu o coração para fala sobre seu reencontro com Rita Lee, ícone do Rock Nacional.

Ela também fala sobre o livro, que conta ainda com uma presença ilustre, logo na orelha da obra: da cantora Rita Lee, com um prefácio. “Ela sempre me curtiu. Passou um momento em que o povo falou coisas que não era eu. E ela acreditou que era eu que fazia e falava e me criticou. De uns anos pra cá, sem Marlene Matos, ela se aproximou”, contou, com exclusividade, à coluna.

Xuxa revelou que a filha, Sasha Meneghel, até hoje chama a cantora de “vó Rita. “Ela chamava Sassa de netinha, Sa chamava ela de vó Rita. E aos poucos ela tava presente de novo“, afirmou. Rita Lee foi a primeira pessoa a ler a obra, que será lançada oficialmente em setembro e trará histórias inéditas da carreira da apresentadora, como os relacionamentos dela com Pelé e Ayrton Senna, a infância, além do ativismo pela causa animal e pelos direitos das crianças.

A cantora paulistana Rita Lee (FOTO: Reprodução)

LEIA TAMBÉM: Christina Aguilera faz performance de músicas escritas para trilha sonora do filme “Mulan”; veja

Enfim, ela leu o livro e falou coisas incríveis! Que eu sou corajosa e que fico linda careca. Ela dizia que eu era a carequinha preferida dela”, comentou. Sobre as críticas da roqueira no passado, Xuxa diz: “Acho que ela era mais uma pessoa que pensava que eu era ou falava o que nunca pensei e falei. As pessoas estão me redescobrindo e ela foi uma dessas”. Ela finaliza: “Sempre a admirei muito, senti muito ela primeiro me amar e depois cagar pra mim. Que bom que o tempo nos juntou de novo. A quero e respeito muito.”

Xuxa também relata sobre o nascimento de Sasha e outras histórias que marcaram a vida, na biografia.

Prefácio de autobiografia de Xuxa, ‘Memórias’ escrito por Rita Lee:

“Ler as memórias de Xuxa é como assistir a um filme sobre uma atriz hollywoodiana que começou ralando na vida e quis o destino que se tornasse uma deusa superstar. Conhecendo os pormenores de suas aventuras, que, aliás, escreve com coragem e honestidade, entendo melhor essa mulher estonteantemente bela e os momentos nem sempre fáceis pelos quais passou. Certeza de que foi aquele seu eterno sorriso iluminado — e por vezes ingênuo — que venceu as chatices dos humanos e a tornou a figura mais apaixonante do Patropi.

Me emociona o amor incondicional que ela sente pela causa dos animais e, é claro, pelos baixinhos, que viam nela uma fada colorida que os transportava a um mundo mágico onde só ela era capaz de lhes proporcionar aventuras inesquecíveis. Meus filhos não desgrudavam da tv quando lá ela estava, toda fantasiada naquele palco empetecado de surpresas… Sim, meus meninos tinham uma paixonite por ela e pelas Paquitas. E, cá pra nós, precisa ter um rosto bonito demais para raspar a cabeça aos cinquenta e poucos anos e continuar com aquela mesma carinha sorridente de criança iluminada.

Sinta-se abençoada por zilhões de fãs do mundo inteiro por ser quem você é: the one and only Xuxa!”