Rita Ora é indiciada pela polícia após festa de aniversário na pandemia

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Rita Ora é indiciada pela polícia por fazer uma festa de aniversário na casa noturna Casa Cruz, no último dia 28 novembro. Na época, o Reino Unido passava pelo segundo lockdown. Via Daily Mail.

O ex-gerente da casa noturna, Scottie Batharai, declarou que representantes da artistas ofereceram 5 mil libras (cerca de R$ 37 mil, na cotação atual) para abrir ilegalmente o local, e agora o estabelecimento corre o risco de perder a licença.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em audiência, Charles Holland, representante da Polícia Metropolitana, afirmou que Rita Ora “foi egoísta ao desrespeitar o lockdown para obter ganhos financeiros e prazer”.

(FOTO: Reprodução/Daily Mail)

VEJA MAIS: Site expõe dossiê sobre supostas traições de Nego do Borel; confira!

No dia do aniversário, a polícia recebeu a informação de que um grande grupo de pessoas tinha chegado pela porta dos fundos do clube, havia segurança e música alta tocando. Cerca de 17 pessoas estavam no local.

Além disso, o laudo da denúncia constava que as câmeras internas do estabelecimento foram desligadas para não gravarem nenhuma movimentação no dia da festa de Ora. Mas, de acordo com o ex-gerente do lugar, as câmeras estavam quebradas e submetidas ao reparo.

Rita Ora pagou uma multa de R$10 mil reais por desprezar os protocolos de segurança contra a Covid-19. Quando procurada, a cantora pediu desculpas:

“Participei de uma pequena reunião com alguns amigos para comemorar meu 30º aniversário. Foi uma decisão repentina tomada com a visão equivocada de que estávamos saindo do lockdown e não teria problemas… Lamento profundamente ter quebrado as regras e entendo que isso coloca pessoas em risco. Este foi um erro de julgamento sério e imperdoável. Diante das restrições, percebo o quão irresponsáveis essas ações foram e assumo total responsabilidade”, começou a britânica, que completa:

“Me sinto particularmente envergonhada por saber em primeira mão como as pessoas têm trabalhado para combater esta doença terrível e por estar plenamente ciente dos sacrifícios que as pessoas e as empresas têm feito para ajudar a manter todos nós seguros. Mesmo que isso não conserte meu erro, eu quero me desculpar profundamente”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio