roger waters
(FOTO: Reprodução)

O cantor britânico Roger Waters surpreendeu o público que assistiu mais um show da sua turnê pelo Brasil, na Arena Fonte Nova em Salvador, nesta quarta-feira (dia 17). O músico prestou uma homenagem ao mestre capoeirista Moa do Katendê, morto no último dia 7 após ser esfaqueado durante uma discussão política com um eleitor do candidato à presidência Jair Bolsonaro.

O tributo de Roger Waters aconteceu próximo ao encerramento da apresentação, marcado por muita emoção. “Eu quero apenas ter um momento para relembrar um dos seus. Esse é um grande artista local. Ele foi brutalmente assassinado durante o processo eleitoral e era um grande exemplo para todos nós em espalhar amor, humanidade e coragem”, afirmou Waters.

VEJA TAMBÉM: Eduardo Costa reafirma apoio a Jair Bolsonaro e divide os fãs

Em seu perfil no Instagram, o ex-integrante do Pink Floyd agradeceu ao público e voltou a prestar homenagem a Moa. “Lembrem-se do mestre Moa. Obrigado por uma noite emocionante, Salvador”, escreveu na legenda da publicação.

Assim como nos shows anteriores, um dos pontos mais polêmicos da apresentação foi quando Waters realizou um protesto contra Jair Bolsonaro. O nome do militar aposentado foi mantido na lista de personalidades mundiais que o músico considera serem neofascistas junto à mensagem “ponto de vista político censurado.”

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

REMEMBER MESTRE MOA. THANK YOU FOR AN EMOTIONAL NIGHT, SALVADOR

Uma publicação compartilhada por Roger Waters (@rogerwaters) em

Roger Waters esconde crítica a Bolsonaro e sugere ter sofrido censura

Na passagem de sua nova turnê pelo Brasil e no primeiro show realizado em São Paulo na terça (dia 9), Roger Waters fez uma provocação ao público, comparando o presidenciável Bolsonaro a um neofacista. A manifestação política do músico foi apoiada e criticada por muitos fãs, gerando uma discussão que continua rendendo comentários nas redes sociais.

VEJA TAMBÉM: AMA 2018: Adam Lambert será vilão em filme com Meghan Trainor e Daniel Radcliffe

Já na segunda apresentação novamente no estádio Allianz Parque em São Paulo, o show acabou sofrendo pequenas mudanças. O nome do candidato à presidência pelo PSL apareceu coberto no telão e o público foi avisado da razão: “ponto de vista político censurado”. Porém, a faixa foi retirada momentaneamente revelando o nome do candidato e em seguida foram exibidas algumas palavras de resistência. Enquanto as palavras eram expostas no telão, fãs do músico se revezavam em gritos e manifestações de “ele não” e “ele sim”.

Confira:

Vale lembrar que outras manifestações do músico ainda são esperadas já que Roger Waters só irá partir do Brasil após o segundo turno das eleições. O ex-integrante do Pink Floyd ainda fará shows da turnê “Us + Them” em Brasília (13/10), Salvador (17/10), Belo Horizonte (21/10), Rio de Janeiro (24/10), Curitiba (27/10) e Porto Alegre (30/10).

Através do Instagram, Roger publicou um vídeo onde pede a união de todas as pessoas  para a criação de um bom futuro para as crianças e as próximas gerações. “Precisamos encontrar uma maneira de usar nossa força de protesto para lutar contra os porcos”, exclamou. “Mantenha-se humano”, escreveu na legenda em português.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

THANK YOU SÃO PAULO! MANTENHA-SE HUMANO

Uma publicação compartilhada por Roger Waters (@rogerwaters) em