Selena Gomez é detonada após culpar donos de redes sociais por invasão nos EUA

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Selena Gomez falou sobre suas críticas aos líderes de tecnologia por permitir que ‘grupos de ódio‘ e ‘desinformação‘ prosperem nas redes sociais.

A cantora de 28 anos divulgou na semana passada um comunicado nas redes sociais depois que partidários do presidente Donald Trump invadiram violentamente o Capitólio dos Estados Unidos em Washington, DC, para protestar contra a derrota nas eleições para o presidente eleito Joe Biden.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

E em uma nova entrevista com Zane Lowe no Apple Music 1, a estrela revelou que se sentiu compelida a falar depois de testemunhar uma onda de mensagens ofensivas.

VEJA MAIS: Site expõe dossiê sobre supostas traições de Nego do Borel; confira!

Ela disse: “‘Acho que comecei a estender a mão para as pessoas imediatamente, diretamente. Eu não tinha medo de chamar um Mark Zuckerberg ou falar o que eu queria, porque não conseguia lidar com o que estava vendo.

E já estamos progredindo, posso dizer, com o Facebook e coisas assim. Mas, para mim, não suporto o fato de que as pessoas precisem saber que existem grupos neonazistas online, e que existem grupos de ódio online, e desinformação da votação dos EUA no vírus COVID.

É só que eles não têm permissão para fazer isso. Este é um lugar onde as pessoas compartilham suas vidas, mas não para criar ódio e magoar as pessoas. E sabe de uma coisa? Pessoas machucadas machucam pessoas. E eu só acho que é esse o resultado final.”

‘”Eu fico muito apaixonado por isso, então eu posso ficar bem irritada, mas eu só acho que é necessário chamar as pessoas que são responsáveis, mas ao mesmo tempo, ser capaz de fazer o que eu puder.’

No momento do ataque ao Capitólio, Selena Gomez escreveu: ‘Hoje é o resultado de permitir que pessoas com ódio em seus corações usem plataformas que deveriam ser usadas para unir as pessoas e permitir que elas construam uma comunidade.’

Ela continuou: ‘Facebook, Instagram, Twitter, Google, Mark Zuckerberg, Sheryl Sandberg, Jack Dorsey, Sundar Pichai, Susan Wojcicki – vocês todos falharam com o povo americano hoje e espero que consertem as coisas daqui para frente.’

A artista nomeou os líderes depois que os apoiadores de Trump encenaram protestos massivos em conjunto com a disputa no Congresso republicano sobre os resultados das eleições, antes da posse planejada do presidente eleito Biden em 20 de janeiro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio