silvio santos claudia leitte
(FOTO: Reprodução)

A diretora Daniela Beyruti, uma das filhas de Silvio Santos, decidiu se manifestar em defesa do pai, após as inúmeras críticas sobre um suposto assédio do apresentador à Claudia Leitte durante a campanha do “Teleton”. O proprietário do SBT afirmou, ao vivo, que não abraçaria a cantora porque “esse negócio de abraço me deixa excitado”.

VEJA TAMBÉM: Anitta dá resposta irônica a internauta que lhe perguntou sobre “pacto com diabo”

A filha do apresentador comentou o seguinte em sua conta oficial no Instagram: “Tenho escutado tanto absurdo esses dias. Me pergunto: será que um homem íntegro, trabalhador, super pai, avô, bisavô, bom marido, colega de trabalho, comunicador de décadas e pessoa que sempre semeou o bem, assediaria mesmo uma mulher na frente de sua esposa e filhas ou estaria fazendo seu trabalho de apresentador brincando no palco com uma outra artista? Saudades da TV de antigamente. Onde existia muita brincadeira e pouco constrangimento. Desabafo de uma filha”, escreveu na rede social.

A própria Claudia Leitte se posicionou sobre a polêmica e admitiu ter ficado envergonhada com os comentários feitos por Silvio Santos. “Quando passamos por episódios desse tipo, vemos em exemplificação, o que acontece com muitas mulheres todos os dias, em muitos lugares. Isso é desenfreado, cruel, nos fere e nos dá medo. A provocação vem disfarçada de piada, e as pessoas riem, porque acostumaram-se, parece-nos normal! E lá se vai a nossa vida, cheia de reflexões quanto ao que usar como artista, como empresária, como esposa, como amiga, como empregada, como patroa… como mulher. Até que horas podemos estar nas ruas? Aprendemos a nos esquivar. Fizemos concessões porque fomos educadas assim. Mas, nós que somos vítimas! ‘Ah, mas se estivéssemos usando outra roupa?’ Definitivamente a culpa não é do que estamos usando! A culpa é dessa atitude constrangedora e de dois pesos e duas medidas. Somos livres!”, escreveu a artista baiana.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Aonde quer que eu vá, minha entrega é total. Tem que ser com todo amor do mundo, especialmente quando se trata de contribuir para o bem de alguém. Senti-me constrangida sim! Quando passamos por episódios desse tipo, vemos em exemplificação, o que acontece com muitas mulheres todos os dias, em muitos lugares. Isso é desenfreado, cruel, nos fere e nos dá medo. A provocação vem disfarçada de piada, e as pessoas riem, porque acostumaram-se, parece-nos normal! E lá se vai a nossa vida, cheia de reflexões quanto ao que usar como artista, como empresária, como esposa, como amiga, como empregada, como patroa… como mulher. Até que horas podemos estar nas ruas? Aprendemos a nos esquivar. Fizemos concessões porque fomos educadas assim. Mas, nós que somos vítimas! “Ah, mas se estivéssemos usando outra roupa?” Definitivamente a culpa não é do que estamos usando! A culpa é dessa atitude constrangedora e de dois pesos e duas medidas. Somos livres! Eu, como cantora, ciente do meu papel e da responsabilidade que carrego, sentia que precisava dizer isso a vocês, meus fãs, e a todas as pessoas, em especial às mulheres, que longe do olhar público sofrem todos os dias.

Uma publicação compartilhada por Claudia Leitte (@claudialeitte) em