Taylor-Swift
A cantora norte-americana Taylor Swift (FOTO: Reprodução)

Muitos cantores já foram anunciados para as apresentações do Grammy 2020 e os fãs de Taylor Swift continuam torcendo para que o nome da artista seja confirmado na cerimônia.

E de acordo com o site Hits Daily Double, há grandes chances da loira realmente se apresentar no evento. O burburinho nas redes sociais e no mundo da música é que Taylor irá sim cantar no prêmio musical que será realizado no dia 26.

Taylor Swift segue indicada a três categorias na premiação, incluindo Música do Ano por “Lover”. A cantora, vale lembrar, tem um documentário da Netflix para promover que será lançado no fim do mês.

O longa intitulado “Miss Americana” será exibido pela primeira vez no Festival de Sundance, no dia 23 de janeiro, e contará com uma estreia mundial na Netflix no dia 31 – cinco dias depois do Grammy. A cantora divulgou o pôster do longa-metragem nesta quarta-feira (dia 15).

View this post on Instagram

Miss Americana ? January 31 on @netflixfilm

A post shared by Taylor Swift (@taylorswift) on

VEJA TAMBÉM: Gusttavo Lima bebe demais e revela que passa horas “chupando periquita” da esposa

Por enquanto, a lista de performances do Grammy inclui o aguardado retorno de Demi Lovato além de Camila Cabello, Ariana Grande, Jonas Brothers, Rosalía, Billie Eilish, Lizzo, H.E.R., Tyler, the Creator, Aerosmith, Blake Shelton & Gwen Stefani, Bonnie Raitt, Run-D.M.C. e Charlie Wilson. A apresentadora novamente será Alicia Keys, que provavelmente também cantará no palco da premiação.

DOCUMENTÁRIO DE TAYLOR SWIFT

Em dezembro, a Netflix confirmou o lançamento do documentário “Miss Americana”, sobre a vida e obra de Taylor Swift. Nesta terça-feira (dia 14), o filme ganhou hoje a data de estreia pela plataforma de streaming mundial.

Dirigido por Lana Wilson, o documentário terá sua estreia no Festival Sundance nos Estados Unidos, dia 23 de janeiro e será disponibilizado para os assinantes da Netflix na semana seguinte, especificamente dia 31 de janeiro.

Confira a pequena sinopse do documentário que terá cerca de uma hora e meia: “Neste documentário revelador, Taylor Swift abraça seu papel como compositora e artista – e como a mulher que aproveita ao máximo o poder da sua voz.

A equipe de produção divulgou uma pequena descrição do filme: “Um olhar cru e emocionalmente revelador para uma das artistas mais emblemáticas do nosso tempo durante um período de transformação em sua vida, enquanto ela aprende a abraçar seu papel não apenas como compositora e intérprete, mas como uma mulher que utiliza todo o poder de sua voz”. Os produtores do projeto são Morgan Neville, Caitrin Rogers, Christine O’Malley.

O anúncio do filme não chega a ser uma surpresa, já que Taylor Swift tinha citado a produção num desabafo contra Scooter Braun e Scott Borchetta, executivos de sua antiga gravadora, a Big Machine. Eles estariam impedindo que as músicas antigas da cantora fossem utilizadas inclusive no filme da Netflix.

VEJA TAMBÉM: Gusttavo Lima bebe demais e revela que passa horas “chupando periquita” da esposa

Não era assim que eu planejava lhe contar essas notícias – a Netflix criou um documentário sobre minha vida nos últimos anos. Scott e Scooter recusaram o uso das minhas músicas ou gravações mais antigas para este projeto, mesmo que não haja menção a elas ou à Big Machine Records em nenhum lugar do filme”, afirmou ela.