Taylor Swift seria a primeira vítima do socialismo, diz senadora dos EUA

Publicado em 11/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A senadora republicana Marsha Blackburn disse que Taylor Swift seria a “primeira vítima” do socialismo, alegando que a cantora e sua música seriam banidas por uma sociedade marxista ou socialista.

Em recente entrevista, a senadora sênior do Tennessee estava alertando os telespectadores de que, se os democratas fossem eleitos, sua adorada música country mudaria para sempre.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Quando você fala sobre música country, e eu sei que a esquerda está lá fora agora tentando mudar a música country e fazê-la acordar”, disse ela. “Quando estou conversando com meus amigos que são músicos e artistas, digo: ‘Se tivermos um governo socialista – se tivermos o marxismo – vocês serão os primeiros a serem cortados porque o estado teria que aprovar sua música.’”

Ela então envolveu Taylor Swift no assunto. As duas estão em conflito desde 2018, quando Swift criticou publicamente o histórico de votação de Blackburn em relação aos direitos da minoria e do LBGTQIA+. Blackburn aproveitou a oportunidade para cutucar de volta.

“Taylor Swift veio atrás de mim na minha campanha de 2018. Mas Taylor Swift seria a primeira vítima disso porque quando você olha para as sociedades marxistas e socialistas, elas não permitem que as mulheres se vistam ou cantem ou estejam no palco performando ou tenham o tipo de música que ela teria “, disse ela.  “Eles não permitem proteção de direitos de propriedade intelectual privada.”

Policial usa hit de Taylor Swift para impedir protestos

Fãs de Taylor Swift não gostaram de descobrir que um policial usou um hit da loira para tentar impedir um grupo de manifestantes na Califórnia, Estados Unidos.

Na última terça-feira (29), manifestantes estavam colocando cartazes pedindo justiça a Steven Taylor, um homem negro morto em 2018, vítima de brutalidade policial. Isso aconteceu do lado de fora do tribunal de Oakland, durante a audiência com o policial acusado pelo assassinato.

Um policial abordou o grupo e pediu para que os cartazes fossem removidos. Os manifestantes se recusaram a tirar, alegando que era direito deles se manifestarem. Ao insistir, o oficial tirou o celular do bolso e colocou a música “Blank Space“, da Taylor Swift.

Ele mesmo explicou o motivo: caso algum manifestante gravasse o momento e publicasse no YouTube, o vídeo derrubado por conta dos direitos autorais. O policial tentou impedir que sua tentativa de boicote aos manifestantes se tornasse público.

Se isso [o pedido para retirar os cartazes] é completamente legal, por qual motivo você está preocupado se está sendo gravado?“, questionou uma das mulheres que participavam do protesto, mas o policial não respondeu.

Nas redes sociais, o caso repercutiu entre fãs de Taylor Swift e muitos demonstraram revolta com a situação: “Isso é tão absurdo e errado”, “Isso é SUPER absurdo por diversas razões”, “Isso me estressou, Steven merece justiça”, foram alguns dos comentários deixados no Twitter.

Mansão que Taylor Swift usou no clipe de ‘Blank Space’ será leiloada

A mansão do clipe da música “Blank Space” de Taylor Swift, propriedade localizada em Long Island, Nova York, será leiloada e o lance inicial é de R$ 34 milhões.

Sua construção foi finalizada em 1919, e a suntuosa edificação possuí 127 cômodos em 10.100m². O clipe foi lançado em 2014, e a faixa faz parte do álbum 1989.

Confira algumas fotos:

VEJA TAMBÉM: Ex de Biel culpa mãe do cantor por seu comportamento: “Sinto pelo que sua mãe fez com você com apenas 13 anos”

Assista ao clipe de Taylor Swift:

Conheça todos os imóveis de Taylor Swift, avaliados em R$ 470 milhões

Taylor Swift tem dominado a indústria da música há mais de uma década. Com seus álbuns, turnês mundiais e vendas de mercadorias, a cantora acumulou um patrimônio líquido de cerca de US $ 400 milhões (R$ 2,3 bilhões). E parece que esse número continuará crescendo. 

Em meio à pandemia, a estrela pop se manteve ocupada, oferecendo aos fãs dois novos álbuns: “Folklore”, lançado em 24 de julho de 2020, e “Evermore”, lançado em 11 de dezembro. 

Em sua última revelação surpresa, Swift, 31, anunciou que refez seu álbum “Fearless”, intitulado “Fearless (Versão de Taylor)”. Embora não seja novidade que ela iria regravar seus antigos álbuns, ela anunciou que seis novas canções seriam incluídas.

E enquanto ela não está ocupada gravando um álbum, ela tem viajado de Londres – onde o namorado Joe Alwyn mora – para suas residências em Nashville, Tennessee, pad e em Nova York. 

Desde 2011, Taylor Swift acumulou um portfólio de imóveis no valor de mais de US $ 80 milhões (R$ 470 milhões).

Para conferir fotos exclusivas das mansões, clique aqui.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio