Tina Turner fala como foi sobreviver ao seu casamento abusivo com Ike Turner

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Tina Turner falou sobre sobreviver a seu casamento abusivo com Ike Turner e como ela ‘convocou seu leão interior‘ para superar seus inúmeros problemas de saúde.

A icônica cantora, 81, diz que o budismo incentivou ela a ‘viver a vida’ ao máximo e superar a violência doméstica que sofreu durante seu casamento com o músico, que durou de 1962-1978.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A musa também lutou contra vários problemas de saúde, incluindo um acidente vascular cerebral em 2013, poucas semanas após seu casamento com Erwin Bach, e ser diagnosticada com câncer intestinal em 2016. 

Falando ao Guardian em apoio a seu novo livro, Happiness Becomes You: Um Guia para Mudar Sua Vida Para Sempre, ela disse: ‘”Ao longo dos anos, convoquei meu leão interior e superei cada problema de saúde. A doença me deu uma valorização maior pela saúde e me lembra de viver cada dia em sua plenitude.

‘”O budismo me encontrou. O abuso que suportei aos meus 20 e 30 anos tornou-se óbvio para as pessoas ao meu redor e, em diferentes ocasiões, várias delas sugeriram que eu aprendesse sobre o budismo.”

VEJA TAMBÉM: Simone, dupla de Simaria, revela detalhes sobre prisão: “Muito torturante”

Ela acrescentou que não tinha “nada a perder” e embora tenha demorado para aprender a se defender, ela foi capaz de “deixar o ambiente insalubre sem arrependimentos”. 

O casal se tornou conhecido nos anos 60 e 70 por The Ike and Tina Revue – mas, a portas fechadas, Ike estava infligindo uma violência doentia em Tina. 

Ela acrescentou: ‘”Agora que estou em meus 80 anos, resiliência e resistência ainda são meus trunfos mais fortes. Vou lhe contar um segredo para a resistência alegre. É nunca reclamar, não importa quais desafios a vida lhe envie“‘ acrescentando que ela acredita que as reclamações ‘apagam a boa sorte‘. 

(FOTO: Reprodução)

A lenda da música disse que mudar a maneira como ela se via funcionou maravilhosamente bem em sua carreira e mentalidade, acrescentando que, quando era mais jovem, “não ligava” para sua aparência “e odiava suas pernas icônicas.”   

Um breve romance em Knoxville com o saxofonista, Raymond Hill produziu seu primeiro filho Craig – antes que o músico e cantor Ike Turner a convidasse para se juntar à sua banda e depois para sua cama.

Mais tarde vieram anos bem conhecidos de violência doméstica. “Lábios estourados, olhos roxos, juntas deslocadas, ossos quebrados e tormento psicológico tornaram-se parte da vida cotidiana”, ela escreve. 

Eu tentei me manter sã enquanto gerenciava a insanidade dele,’ Tina acrescenta.

Mas, sua depressão e desânimo com o abuso e infidelidade de Ike levaram Tina Turner a tentar o suicídio em 1968, engolindo 50 pílulas para dormir nos bastidores antes de um show. 

A equipe musical nos bastidores percebeu que algo estava errado e a levou às pressas para o hospital para salvar sua vida. Inicialmente desapontada por acordar, ela decidiu apenas aproveitar ao máximo sua vida, mas para onde estava indo ela não sabia – até que um engenheiro de som sugeriu que ela tentasse cantar.  

-Isso não era para hippies? ela pensou – até que seu filho mais novo trouxe para casa contas de canto budistas e sugeriu que ela cantasse ‘Namu-myoho-rengue-kyo’.

Essas são palavras entoadas com todas as formas do Budismo Nichiren e, de acordo com a fé, nos permitem reunir sabedoria para superar todas as adversidades”, ela escreve. 

Ronnie também sugeriu que eles fossem a uma reunião de canto, mas como Ike não a deixou sair de casa, Tina Turner disse a Ronnie para trazer os budistas para a casa.

Foi um caminho rápido para ler livros sobre a sabedoria budista – e aprender como transformar a negatividade destrutiva venenosa em positividade criativa que lhe deu a força para finalmente deixar Ike Turner e pedir o divórcio em 1976 – quando ela tinha apenas 36 centavos em sua conta.

Falando de sua casa no Lago de Zurique, Suíça, Tina também falou sobre como sobreviver ao abuso de Ike deu a ela uma resiliência inabalável.

Ela disse ao Mirror : ‘Eu não mudaria nada. Eu abraço toda a jornada da minha vida. Cada parte contribuiu para que eu me tornasse quem sou hoje e estou muito feliz agora. ‘  

‘”Houve uma série de experiências difíceis que poderiam ter me abalado, mas se tornaram o combustível para minha jornada, me impulsionando para cima.”  

‘”Depois de sobreviver a anos de abuso, eu sabia que tinha uma resiliência inata que poderia aproveitar. Se eu pudesse aumentar isso, sabia que poderia me tornar inabalavelmente feliz e tornar meus sonhos realidade. “

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio