O cantor Toquinho (FOTO: Reprodução)

Um dos artistas que ajudaram a escrever a história da música brasileira, Toquinho é autor de grandes sucessos em parceria com Vinícius de Moraes (“Tarde em Itapuã”, “Carta ao Tom 74”), Chico Buarque (“Samba de Orly”) e Jorge Ben (“Que Maravilha”, “Carolina Carol Bela”) entre muitos e muitos outros, além de ser considerado um dos maiores violonistas do Brasil.

Sempre em turnê pelo Brasil e pelo mundo, sem tempo para gravar um álbum, Toquinho foi compondo novas canções, enviando para Paulo César Pinheiro, com quem já tinha trabalhado em “Mosaico” (2005), sem maiores pretensões. “Aos poucos fui vendo a possibilidade de fazer um trabalho único e continuei mandando as melodias para ele fazer as letras e termos um disco coeso” – conta Toquinho. Paulo Cesar Pinheiro é um dos grandes autores da nossa música, com mais de mil canções gravadas, compostas com cerca de 120 parceiros e foi fundamental nesse projeto. Ele também canta em “Tudo de Novo”.

Depois das canções compostas, Toquinho e o produtor Rafael Ramos começaram as conversas sobre as gravações e decidiram, de cara, que fariam como nos anos 70, com a preocupação de fazer um disco bonito, com todas etapas muito bem cuidadas e com o violão como estrela principal, era importante ter o violão de Toquinho brilhando. “Cada vez que eu gravava a base de violão, estava todo arranjo intrínseco, já pré-estabelecido por mim e depois começávamos a construir esse edifício musical. Foi tijolo por tijolo” – contou Toquinho.

VEJA MAIS: ‘Made In Honório’: Confira trailer da nova série de Anitta

Depois do violão iam complementando aos poucos outros instrumentos, a começar pelas cordas, inspiradas pelos arranjos de grandes maestros dos anos 70, a época das grandes gravações com orquestras, e assinadas no disco por Felipe Ventura. A busca pelo minimalismo evidencia o talento dos excelentes instrumentistas escalados. Além de Toquinho, Jorge Helder (contrabaixo), Paulão 7 Cordas (violão 7 cordas), Thiago da Serrinha (percussão), Thiago Silva (cavaquinho), Marcus Ribeiro (cello), Marlon Sette (trombone), Diogo Gomes (trompete), Felipe Pinaud (sax e flauta) e Apollo 9 (Harmonium, Saltério, Harpsichord, Cravo e Percussão), completam o time.

O disco abre com a faixa-título, que traz uma abordagem mais contemporânea, anunciando essa obra de arte em grande estilo: “A vida é um mistério/Pra gente aprender/Pois não tem critério/E quem leva a sério/Começa a morrer”. “A Arte de Viver” traz um novo olhar para o melhor de Toquinho e da música brasileira. É um sopro criativo, uma beleza que floresce a cada acorde, tocado por uma banda excepcional.

Toquinho trouxe alguns convidados especiais, a cantora Maria Rita faz um contraponto feminino perfeito na ‘música de resposta’ “Papo Final”, Camilla Faustino, com quem Toquinho trabalha há 4 anos canta em “Roda da Sorte” e “Rainha e Rei”. Hamilton de Holanda toca seu maravilhoso bandolim em “Amor Pequeno”. “Assim que gravei essa música pensei que seria lindo umas frases do Hamilton, um cara com uma criatividade incrível e adorei o resultado” – comentou Toquinho. Há uma homenagem a Baden Powell na faixa “Mão de Orfeu”.

A capa do álbum é um espetáculo à parte assinada por Elifas Andreato e Luis A. Mielle. “A Arte de Viver” é impecável em todos os seus aspectos, cada detalhe foi muito bem cuidado para que as músicas tivessem sua representação mais bela, como se fazia antigamente e como Toquinho merece.

“A Arte de Viver” é um lançamento da gravadora Deck em CD e digital.

Ficha Técnica
Produzido por Rafael Ramos
Gravado por Matheus Gomes
Gravações adicionais por Jorge Guerreiro e Fábio Roberto
Mixado por Vitor Farias
Masterizado por Fabio Roberto e Vitor Farias
Produção realizada no Estúdio Tambor (RJ)
A&R: João Augusto
Assistente de produção: Bruno Pegos

Toquinho: Voz e Violão

Participações Especiais:
Camilla Faustino: Voz em “Roda da Sorte” e “Rainha e Rei”
Hamilton de Holanda: Bandolim em “Amor Pequeno”
Maria Rita: Voz em “Papo Final”
Paulo César Pinheiro: Voz em “Tudo de Novo”

Músicos Convidados:
Jorge Helder: Contrabaixo
Paulão 7 Cordas: Violão 7 Cordas
Thiago da Serrinha: Percussão
Thiago Silva: Cavaquinho
Felipe Ventura: Violino e Arranjo de Cordas em “A Arte de Viver”, “Papo Final” e “Rainha e Rei”
Marcus Ribeiro: Cello em “A Arte de Viver”, “Papo Final” e “Rainha e Rei”
Marlon Sette: Trombone em “Fato Novo”; Arranjo de sopros e trombone em “Quero Ficar com Você”
Diogo Gomes: Trompete em “Quero Ficar Com Você”
Felipe Pinaud: Sax e Flauta em “Quero Ficar Com Você”
Apollo 9: Harmonium, Saltério, Harpsichord, Cravo e Percussão em “Medieval”; Pads em “Roda da Sorte”
Janeh Magalhães, Fael Magalhães, Cleyde Jane, Rômulo Nascimento e Wallace Lopes: Coro
Rafael Ramos: Programação em “A Arte de Viver”; Pratos, Sino e Tímpano em “Medieval”; Pratos e Programação adicional em “Roda da Sorte”

Citações em “Mão de Orfeu”:
“Samba da Benção” e “Deixa” (Compostas por Baden Powell e Vinicius de Moraes)

Capa/Projeto Gráfico: Elifas Andreato e Luis A. Mielle
Fotografia: Marcos Hermes
Assistente de fotografia: Silvinha Quadros
Letras manuscritas por Paulo César Pinheiro