Valesca Popozuda detona Regina Duarte: “Funk também é cultura”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após a entrevista da Regina Duarte, atual ministra da cultura, para a CNN Brasil nesta quinta-feira (7), o Brasil não falou em outro assunto e atriz foi muito criticada, por defender a ditadura, minimizar as torturas da época, diminuir as mortes causadas por isso e ainda cantou a música Para Frente Brasil, que virou campanha do período ditatorial. Muitas celebridades se juntaram para irem contra o posicionamento de Regina e resolveram se manifestar após a entrevista, dentre eles: Anitta, Valesca Popozuda e Bruno Gagliasso.

Valesca Popozuda foi em defesa do funk e ainda deixou uma ‘dica’ para a secretária saber trabalhar corretamente.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

VEJA TAMBÉM: MC Gui é acusado de maltratar outra criança com câncer

“Não perca seu tempo, secretária, tentando fazer um papel desses na vida, deixe isso para a arte. Não é possível que, para a senhora, a ditadura mereça ser enaltecida. Sabia que o funk também é cultura? Existem planos para atender toda classe de artistas ou está segmentado apenas para quem concorda com o governo? Não seja secretária somente de uma classe, represente a todos de forma igual. Fica aqui minha humilde opinião: trabalhe para todos, humildade sempre e muito conhecimento de todos os tipos de culturas, seja ela da classe A ou C, ok?”, comentou Valesca Popozuda.

Confira a entrevista de Regina Duarte para a CNN Brasil:

Anitta também
não ficou quieta e criticou Regina Duarte após a entrevista. A cantora fez um texto
enorme no Instagram da atriz, não só reprovando sua postura, suas respostas e
sua falta de respeito com o povo, mas também cobrando ações e perguntando para
onde está indo o dinheiro destinado à cultura.

No momento,
Anitta também acusou a secretária de só governar para quem pensa igual a ela e falou
que cultura era muito mais do que ela achava. Leia na íntegra:

“Vejo
que a senhora me segue aqui no Instagram e gostaria de dizer algo como cidadã.
Assisti sua entrevista na CNN e já vi em alguns lugares que nao foi combinado
uma entrevista ao vivo etc e etc, mas, falando como artista que já passou por
isso algumas vezes (se é que realmente foi isso), acho que haveria mil outras
formas de se pronunciar sem ser grosseira com os demais. Uma pessoa que aceita
assumir a secretaria de cultura está aceitando trabalhar para o povo, isso
significaria escutar TAMBÉM os lados que pensam diferente da senhora e colocar
sua posição sobre a questão. Se recusar a ouvir uma opinião contrária logo
depois de enaltecer os tempos de ditadura me causa muito medo. Até porque eu e
muitos dos meus amigos seríamos os primeiros censurados caso esse regime
voltasse ao Brasil e nós continuássemos no exercício do nosso trabalho.
Gostaria de dizer que a cultura no Brasil vai muito além do ballet clássico,
das orquestras sinfônicas e dos livros de poesia (que também são incríveis e
tem seu imenso valor). Governar apenas para os que te causam afeição não é
governar para o povo. Nao seria mais inteligente responder com calma e
sabedoria o que tem sido feito pela classe cultural em virtude dos
acontecimentos do covid 19? Aliás, o que tem sido feito? Todas as prefeituras
do Brasil possuem verbas de entretenimento para o povo. Agora, que não estão
sendo utilizadas, pra onde está indo esse dinheiro? A senhora não poderia
tentar fazer com que ele estivesse indo para os trabalhadores da indústria que
estão sofrendo com o momento? Por mais que a senhora não tenha medo do vírus,
não deveria trabalhar também para os que têm e estão levando a situação a
sério? Seu cargo só governa para quem pensa semelhante à senhora? E as famílias
que perderam parentes com a doença? Como se sentiriam ouvindo um depoimento de
quem faz pouco caso do momento? Onde está a empatia? Meu intuito aqui não é
insultar e sim questionar”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio