O astro norte-americano Elvis Presley (FOTO: Reprodução)

Uma enfermeira que cuidou de Elvis Presley nos últimos dias de sua vida, detalhou no livro “Taking Care Of Elvis” como foi a experiência. Lançado em 2015, o livro conta que o rei do rock foi vulnerável durante a época: “Vi a tristeza e a felicidade. Vi a vulnerabilidade”.

A enfermeira Letetia Henley Kirk e Elvis se conheceram em um hospital, quatro anos antes dela vira enfermeira particular do cantor. Ela conta que seu marido também foi contratado pelo músico para ser seu segurança.

LEIA TAMBÉM: Maiara, da dupla com Maraísa, elogia atitude de Marília Mendonça após término de namoro

Elvis foi descrito como “um homem de família, mas solitário ao mesmo tempo”, pois Letetia foi contratada um ano após o cantor ter se divorciado de Priscilla Presley, com quem foi casado por seis anos.

Ela revelou que apesar do casal ainda manter contato na época, ele queria uma companheira, mas nunca conseguia graças a seus status. Kirk disse que mais tarde, Presley se apaixonou por Linda Thompson, mas ela o deixou pois “era desgastante para a atriz ver Elvis se destruir aos poucos”.

A autora ainda contou que quando começou a engordar, Elvis ficou muito desconfortável por saber que poderia não conseguir mais performar da forma que queria. Ela disse que apesar do interprete de “Suspicious Minds” se esforçar para equilibrar sua alimentação, ele não conseguiu se segurar – e então teve que recorrer às medicações.

Elvis Presley morreu em 1977, em sua mansão no Tennessee. Hoje em dia, sua filha com Priscilla, Lisa Marie Presley, é proprietária da casa – que é aberta ao público para visitação.