michael jackson
O cantor norte-americano Michael Jackson (FOTO: Reprodução)

A supermodelo Naomi Campbell tem uma carreira que não se limita à passarela ou às revistas brilhantes. Além de passarelas graciosas, participou de programas de televisão, liderou iniciativas de caridade, lançou alguns discos, e desempenhou alguns papeis como atriz. Um dos seus últimos trabalhos vem sendo a direção do seu canal no YouTube, mas a modelo recentemente dedicou tempo a uma entrevista com a rapper Lil Wayne e compartilhou uma história sobre quando trabalhou com Michael Jackson.

A maioria das pessoas conhece Naomi pela sua carreira de modelo e pelas suas participações ocasionais em programas de TV ou filmes, mas Campbell também participou de alguns videoclipes. Enquanto o seu primeiro trabalho como modelo foi aos 15 anos, ela ainda estava na escola primária quando participou do vídeo para o hit “Is This Love” de Bob Marley.

VEJA TAMBÉM: Sexo a três, homens e mulheres: a vida sexual de Janis Joplin

Toda a sua turma participou do vídeo de 1978, e ela adorou o clipe. Durante uma participação no podcast da Lil Wayne’s Young Money Radio, Campbell falou sobre como a música de Marley fez parte da sua vida e como ela era poderosa. “Nunca pensei conhecê-lo aos 7 anos de idade ou a fazer um vídeo, e lembro-me apenas que ele era um homem incrivelmente belo”.

Naomi também ficou entusiasmada por trabalhar com Boy George e o Culture Club em “I’ll Tumble 4 Ya”, além de contribuir com George Michael no antológico videoclipe de “Freedom!”, e claro, como a principal modelo do clipe de Michael Jackson para a faixa “In the Closet” em 1992.

O que muitas pessoas podem não saber é que originalmente, Madonna deveria ter estrelado tal clipe de Jackson, mas segundo o músico Babyface, a Rainha do Pop começou a fazer demasiadas exigências sobre o cenário e Michael Jackson decidiu tirá-la das filmagens. Jackson fez então o convite por telefone para Campbell.

Michael Jackson (feat. Madonna) - In The Closet - YouTube

Naomi não estava à espera de tal telefonema, e foi a sua primeira vez falando com o cantor. Jackson pediu-lhe para desempenhar o papel principal, e Campbell inicialmente recusou-o por causa da sua agitada agenda.

Naomi disse a Lil Wayne: “Quando Michael me ligou, eu disse a Michael: ‘Muito obrigado, mas não posso fazer o seu vídeo porque tenho 30 espetáculos para fazer em Paris, e assumi o meu compromisso e não os posso cancelar’. E então Michael disse: “Bem, eu pago os espetáculos para que possa vir e fazer o vídeo”.

BUM! Naomi foi apanhada desprevenida e não queria desistir das suas funções, mas acabou sendo completamente convencida a filmar com o diretor Herb Ritts em Los Angeles.

Michael-Jackson-Naomi-Campbell-In-The-Closet | Michael jackson ...

Num vídeo para o seu vlog no YouTube, Campbell contou a sua experiência para “In the Closet”, e disse que a filmagem do vídeo foi divertida e Jackson foi “assustador”. Ela chamou-lhe de perfeccionista e disse que ele sabia como ele queria que tudo acontecesse.

“Tivemos tantas gargalhadas. Éramos como crianças”, disse ela. Campbell disse que Michael era um gênio e no cenário, era também um brincalhão. Contou que os dois trocaram piadas e brincaram com canhões de água. Após o encontro no set, Campbell e Jackson permaneceram amigos até à sua morte em 2009.

O clipe finalizado é semelhante aos vídeos de Ritss, por ser sensual e monocromático. No entanto, não é tão complexo como os vídeos do Jackson para “Black or White” ou “Bad”. O projeto de Ritts optou mais pela simplicidade. De acordo com Michael Jackson Style, Ritts disse: “Desta vez não se trata realmente de cenários escandalosos e 50 bailarinos. Trata-se realmente de trazer a energia de Michael de uma nova forma”.

O clipe foi proibido na África do Sul por ser provocativo e sensual demais. O projeto não inclui qualquer nudez, mas retrata Campbell e Jackson dançando muito próximos, de uma forma que a relação sexual fica sugerida – embora não soe nada tão ousado quanto a televisão moderna. A proibição do vídeo só mostra como os tempos mudaram desde o início dos anos 90!

Independentemente da recepção mista do vídeo na África do Sul, Campbell tinha uma visão positiva de Jackson. Em 2019, ela postou que sentiu a sua falta no Instagram e disse que ele permaneceria para sempre no seu coração.

Assista ao resultado final do clipe abaixo: