A apresentadora Xuxa (Foto: Reprodução/Internet)

Em sua coluna para a Vogue, Xuxa contou um pouco mais sobre seu passado, incluindo alguns dos assuntos mais polêmicos de toda sua carreira, como o filme “Amor, Estranho Amor” e seu relacionamento com Pelé e Luciano Szafir.

Sobre seu relacionamento com o Rei do Futebol, a loira revelou: “Foi aí que eu conheci a maldade real das pessoas. Fui chamada de puta, interesseira que queria aparecer às custas de um rico famoso, garota de programa de luxo e muitos outros nome”.

VEJA TAMBÉM: Katy Perry faz a apresentação mais bonita de toda a quarentena

E ainda contou sobre seu díficil começo na televisão: “Quando comecei a trabalhar para crianças, aos 20 anos, fui taxada de loira burra, despreparada. Disseram que eu tinha relações com as Paquitas, com minha diretora e que eu não poderia trabalhar com o público infantil”.

(FOTO: Reprodução)

Sobre seu relacionamento com o pai de Sasha, Luciano Szafir, a cantora disse: “Resolvi ter minha filha aos 35 anos sem me casar e disseram que eu era mau exemplo para os públicos infantil e adolescente. O então ministro José Serra, na época, disse até que eu estava incentivando as jovens a seguir o meu exemplo. Não ter o pai da Sasha ao meu lado fortaleceu o que sempre falavam: que eu gostava de mulheres, não prestava, era uma prostituta de luxo, etc… “.

Xuxa Meneghel também falou sobre uma polêmica que a persegue há anos, que é o filme de 1982 ‘Amor, Estranho Amor’, onde ela fazia o papel de uma menina de 15 anos que foi vendida para um político: “Nada a ver com a minha biografia, mas amam dizer que sou eu, a ‘Xuxa dos Baixinhos’ e não a personagem, menina que foi vendida para um prostíbulo – que aliás é um tema tão atual”.

(FOTO: Reprodução)