Katy Perry
A cantora norte-americana Katy Perry (FOTO: Reprodução)

Katy Perry não quer discutir as acusações de assédio sexual contra ela, pois teme que isso “distraia” o valioso trabalho do movimento #MeToo.

Em agosto passado, Josh Kloss, que apareceu ao lado de Katy em seu vídeo Teenage Dream, alegou que ela puxou sua roupa íntima, deixando sua masculinidade exposta, enquanto a apresentadora de TV russa Tina Kandelaki afirmou que a estrela tentou beijá-la e tocá-la em uma festa da indústria.

Falando sobre as alegações pela primeira vez em uma entrevista ao The Guardian, a cantora, que está grávida de sua primeira filha, explicou seu silêncio. Ela deu a entender que as afirmações não são verdadeiras, mas que ela não queria que discussões sobre elas distraíssem #MeToo.

LEIA TAMBÉM: Compositor critica arrogância de Gusttavo Lima após ficar milionário com hit do cantor

Acho que vivemos em um mundo onde qualquer um pode dizer qualquer coisa”, diz ela. “Eu não quero dizer ‘culpado até prova em contrário’, mas não há freios e contrapesos: uma manchete voa, certo? E não há investigação do que seja.

Eu não quero aumentar o barulho. Eu quero aumentar a verdade, basicamente. Eu não comento todas as coisas que são ditas sobre mim porque se eu perseguir aquele dragão, seria sobre verdadeiro e falso -ing minha vida inteira. É uma distração do movimento real (#MeToo).

Enquanto isso, Anderson Davis, que estrelou seu vídeo para Thinking of You, insistiu que a hitmaker de Roar era nada além de profissional quando elas trabalharam juntas.

Eu li um artigo sobre os pensamentos do modelo masculino e o que ele alegou que Katy Perry fez com ele.” Davis escreveu. “O que posso dizer é minha experiência pessoal e não foi nada além de positiva. Katy foi extremamente inspiradora, doce, querida, profissional no set e fora dela nas poucas vezes que nos encontramos.”