Michael Jackson
O cantor norte-americano Michael Jackson (FOTO: Reprodução_

Michael Jackson morreu dia 25 de junho de 2009 e causou tanto escândalo quanto comoção mundial. Conrad Murray, médico responsável por dar remédios ao Rei do Pop, foi condenado por homicídio culposo e permaneceu cerca de dois anos atrás das grades.

Michael, certamente, foi um dos cantores de maior sucesso da história e arrecadou uma grande fortuna ao longo de suas décadas de carreira. No entanto, também sabe-se que o cantor estava com dívidas milionárias.

Esse problema veio à tona durante o julgamento da morte do artista em 2013. Segundo a revista estadunidense Newsweek, o contador forense William R. Ackerman revelou informações importantes sobre as finanças de Michael durante seu depoimento. Ele afirmou que ele estava pagando, por ano, dívidas por volta de US$ 30 milhões. Isso durante o período de sua morte.

VEJA TAMBÉM: Nostalgia! Manu Gavassi surge cantando “Pipoca e Guaraná” em vídeo inusitado

Ackerman por sua vez afirmou que isso esse valor estava cobrindo os juros do valor total de dívidas que seria cerca de US$ 300 milhões. Para ele, os gastos vinham principalmente do Rancho Neverland, que contava com animais selvagens e um parque de diversões gigante, além de ter gasto “muito dinheiro em jóias”.

Mas isso foi sendo debitado a partir do sucesso que o cantor fazia mesmo morto. Tanto em vida quanto depois dela, Michael Jackson foi um dos mais lucrativos cantores de todos os tempos. Segundo a Forbes, em 2016, o patrimônio de Michael era de US$ 825 milhões. E o cantor já havia morrido há 7 anos, e aquele foi o maior ganho em um ano feito por qualquer celebridade.

Suas dívidas milionárias provavelmente foram quitadas devido ao alto valor que ele ainda fazia. Sua herança milionária deixada após sua morte em 2009, causou diversas controvérsias ao longo dos anos.

De acordo com o testamento deixado por Jackson cada um de seus filhos, Prince, Paris e Blanket, receberiam cerca de US $ 100 milhões, mas somente quando completassem 40 anos de idade. Atualmente, apenas Blanket recebe uma pensão do fundo fiduciário que deve permanecer até os 21 anos. Como Paris e Prince tem respectivamente 22 e 23 anos não recebem mais. Aos 30, os herdeiros terão acesso a um número de série, que será depositado para eles somente aos 40.

Segundo o tabloide Notícias do mundo, os herdeiros do astro do pop ficarão com por volta de 40% de todo o patrimônio de Michael. Ele estava avaliado em US$ 250 milhões.

Além deles, apenas outro membro da família Jackson foi mencionado no testamento. A mãe do artista, Katherine Jackson, além de receber os outros 40% da riqueza, cerca de US $ 99 milhões, e também ficou com a guarda dos três filhos do cantor. A matriarca ganha US $ 86 mil por mês. Quando falecer, parte de sua herança irá aos herdeiros de Michael.

Os 20% restantes, foram destinados a doações para instituições de caridade. O pai, Joe Jackson, e os irmãos do astro ficaram de fora do testamento.

Vários dos irmãos tentaram alguma porcentagem do valor. Chegaram inclusive a alegar que o testamento era falso. As disputas pela riqueza de Michael, começaram em 2009 e permanecem até os dias de hoje. As ex-esposas de Michael também ficaram de fora do patrimônio.

Não é novidade a relação conturbada que o cantor tinha com seu pai Joe Jackson, que chegou a ser considerado uma espécie de tirano. Falecido em 27 de junho de 2018, Joe não conseguiu receber nada do dinheiro do filho.

O testamento surpreendeu a todos. Em entrevista anônima ao Notícias do mundo, uma fonte disse: “Michael tinha suas brigas com o pai e os irmãos, mas, sendo uma alma generosa que era, é quase inacreditável que tenha deixado nada”.

Apontamentos mais recentes indicam que o rei do pop ganhou em sua vida o total de $ 1,2 bilhão, ou apenas US$ 2 bilhões na contabilização da inflação. Se acrescentarmos números póstumos ele aumenta para quase US$ 3 bilhões fazendo dele o artista mais rico da história da música.