britney spears
A cantora norte-americana Britney Spears (FOTO: Reprodução)

O ex-agente de Britney Spears quebrou o silêncio e disse que a cantora pode ficar sob a tutela legal pelo resto da vida pois ela precisa ser protegida de “influências indevidas”.

Em 2008, a artista foi colocada sob uma tutela que afirmava que a cantora não podia se responsabilizar pela própria vida por conta de problemas mentais.

Esse bloqueio faz com que a artista supostamente não tenha controle sobre seu próprio dinheiro, além de não poder votar, namorar, engravidar, mexer no celular ou se apresentar sem a permissão e supervisão de seu pai.

VEJA TAMBÉM: Mariah Carey conta que irmã tentou lhe vender para cafetão aos 12 anos

Para o Daily Mail, o ex agente disse que ‘pessoas mal intencionadas’ estão por trás da campanha viral Free Britney para acabar com sua tutela legal.

Ele alega que os fãs ‘não têm a menor ideia’ sobre como a lei funciona ou por que Britney precisa ser protegida.

Além disso, ele negou as informações de que havia roubado US$ 59 milhões da cantora e chamou isso de “especulações malucas”.

Apesar da afirmação de que a cantora precisar ser protegida, recentemente foi provado por meio de documentos entregues à Justiça que a Princesa do Pop não tem qualquer tipo de problema mental.

O ex agente, Andrew Wallet (FOTO: Reprodução/Daily Mail)

Esses comentários de Andrew Wallet vêm em meio à um pedido judicial para ser reintegrado, juntamente com o pai da cantora, à tutela.

Britney Spears e seu advogado já assumiram que são contra essa reintegração porque ele é “excepcionalmente inadequado” para o papel.

Questionado sobre por que Britney acredita que ele não é adequado para ser seu co-conservador, ele apenas disse: “Ela pode dizer o que quiser”.

“A percepção deles [fãs] é tão errada, mas você não pode ir e dizer o porquê, porque muito disso é confidencial”.

E continuou: “Você tem um monte de gente que não tem a menor idéia, mas por enquanto não podemos falar sobre isso. É frustrante, mas é o que é. Se Britney não fosse uma celebridade, nada disso seria discutido”.

Ainda reclamou novamente sobre o movimento Free Britney: “Esse movimento nas redes sociais definitivamente complicou as coisas. Existem pessoas espreitando nas sombras promovendo uma agenda”

FOTO: Reprodução

“Eu não posso dizer quem além de Britney está se machucando, ela é a única que se machuca com tudo isso”, disse. “‘Há muitas críticas que estão completamente erradas”.

Wallet ainda continuou: “Não é do interesse de Britney estar fora da tutela, mas há muita política envolvida. Ela até hoje não tem capacidade para assinar documentos e tomar decisões por si mesma”.

Quando questionado, Wallet se recusou a comentar sobre por que ele deixou o cargo de co-conservador de Britney em março do ano passado.

Por recentemente Britney Spears ter afirmado que não tem qualquer interesse em voltar a se apresentar enquanto está na conservadoria, ele disse: “Ela tem o direito de decidir isso, você não pode obrigá-la a trabalhar ou fazer algo que ela não queira fazer”.

“A tutela não existe para obrigá-la a fazer coisas que ela não quer. Ela existe para protegê-la. Se ela não quiser trabalhar, não precisa trabalhar. Ninguém pode forçá-la”.

Documentos judiciais revelam que a partir de fevereiro de 2014, Wallet estava recebendo $426.000 (mais de 2 milhões de reais) para administrar os bens da artista.

Defendendo-se, Wallet disse: Há tantas coisas que fiz para ajudar no sucesso de Britney. Ela estava em várias turnês e tinha uma residência em Vegas enquanto eu era co-conservador”.

“O que fui pago foi mais do que justo pelo que me pediram para fazer (…) Não houve corrupção, é tudo especulação selvagem, mas você só precisa balançar a cabeça e lidar com isso”.

Britney e seu pai Jamie Spears (FOTO: Reprodução)
Britney e seu pai Jamie Spears (FOTO: Reprodução)